Brasil 247 – Jair Bolsonaro usou sua transmissão ao vivo pela internet para atacar o governador de São Paulo e seu desafeto político, João Doria (PSDB), e para afirmar que não terá responsabilidade pelo surgimento de possíveis efeitos colaterais de vacinas contra a Covid-19 que forem distribuídas pelo governo. “Quero o cidadão de bem armado. Com o povo de bem armado, acaba essa brincadeirinha de “vai ficar todo mundo em casa que eu vou passear em Miami. Pelo amor de Deus. Oh… calcinha apertada! Isso não é coisa de homem. Fecha São Paulo e vai passear em Miami. É coisa de quem tem calcinha apertada. Isso é um crime”, disse Bolsonaro na live transmitida nesta quinta-feira (24).

Declaração foi feita após Doria viajar de férias para Miami logo após colocar o estado na chamada fase vermelha do Plano São Paulo, que prevê restrições mais rígidas opara conter o avanço da Covid-19. Ele, porém, retornou poucas horas depois de desembarcar nos Estados Unidos pelo fato do vice-governador, Rodrigo Garcia (DEM) ter sido diagnosticado com o novo coronavírus. 

 Na live, o ex-capitão também disse que não se responsabiliza por qualquer efeito colateral advindo de vacinas contra a Covid-19. “Eu não me responsabilizo por ninguém. Afinal, quem tem que se se responsabilizar por medicamento não sou eu”, disse. “Quero deixar bem claro que na bula dessa vacina vai estar ‘não nos responsabilizamos por qualquer efeito colateral’. A adesão é sua. Aí se fala do termo de responsabilidade. Tem gente que quer que eu baixe uma medida provisória e diga que a responsabilidade é minha, do governo federal. Não vou assinar isso”, afirmou.