A Fundação FCCV encaminhou para o fórum de Cruzeiro do Sul no dia 8 de dezembro uma ação cautelar aonde conta todos os fatos que ocorreram desde o cancelamento do contrato ao aviso prévio conforme a lei determina.

Segundo o senhor João Depintor, a prefeitura alega não ter direito nenhum, com as rescisões dos funcionários que prestaram serviços a prefeitura, a fundação diz também não ter dinheiro para pagar.

“A gente espera agora a agilidade da justiça, já explicamos que tem 303 famílias que dependem desse recurso pra poder receber o que é deles de direito, os salários de todos já foram pagos agora só dependemos desse dinheiro para pagar as rescisões de fim de contrato.” Diz João

Faltando pouco menos de duas semanas para acabar o ano, funcionários e prestadores de serviços podem não ver esse dinheiro tão cedo. A empresa alega também ter um valor de 430 mil que ainda não foi pago pela prefeitura, e com isso serviços de mídia, fornecedores e outros estão tudo no mesmo barco

Tentamos entrar em contato com a prefeitura de Cruzeiro do Sul a mais de uma semana para obter detalhes, o que nos informaram era apenas para aguardar que as providências estavam sendo tomadas, mais não deram nenhuma data de quando isso tudo seria resolvido.

Resta aos prestadores de serviços apenas aguardar pela misericórdia de Deus.