Com cenário de disputa para governo indefinido e ainda sem a certeza como Gladson Cameli (PP) irá desenhar seu arco de alianças, os seus aliados começam a traçar a disputa para única vaga de senador em disputa nas próximas eleições.

Flaviano Melo (MDB) já se credenciou como um dos nomes, inclusive acredita que o MDB pode lançar candidatura própria ao governo. O Partido de Flaviano não anda bem e relações com Palácio Rio Branco e se vale do peso que tem, com dois deputados federais, um senador e 3 deputados estaduais, saindo da eleição deste ano com 4 prefeitos eleitos.

Alan Rick (DEM) resolveu colocar as garras de fora e assumir que também quer disputar o posto, inclusive deu muita publicidade para a notícia. Com a força de um grande partido, o DEM tem um deputado estadual, elegeu um vereador na capital e não teve prefeito eleito nesta eleição. Alan é bem relacionado com o governador Gladson Cameli e transita bem nos corredores Bolsonaristas de Brasília.

Jorge Viana (PT) ainda não oficializou a sua intenção para 2022, mas se sabe que ficou entalado na garganta a derrota para o senador Márcio Bittar em 2018. Jorge pode inclusive ser o candidato ao governo, pois como saiu bem avaliado em 2006, costuma ser bastante lembrado cada vez que ações do Gladson geram descontentamento na opinião pública.

Nesse jogo ainda tem muitas peças para serem mexidas, pois com a certeza de que o vice Major Rocha (PSL) não estará na chapa com Gladson, o PSDB deve se mexer e buscar alguma alternativa, inclusive de lançar a deputada federal Mara Rocha ao senado e trazer o irmão Werles para federal.

Vamos aguardar o jogo ser jogado.