Na última reunião ordinária anual da Assembleia Geral do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal realizada nesta segunda-feira, 21, o gestor defendeu a compra em conjunto do primeiro imunizante autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) entre os nove estados da região.

Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Maranhão, Pará, Roraima e Tocantins possuem, juntos, mais de 28,5 milhões de habitantes. Cameli lembrou ainda que estes estados correspondem a 59% do território brasileiro e possuem inúmeros municípios de difícil acesso terrestre.

“Precisamos nos unir para não ficarmos para trás em relação a vacina. Juntos somos mais fortes e tenho certeza que uma ação conjunta entre os estados amazônicos é de fundamental importância para assegurarmos que essa vacina possa chegar de uma só vez para todos os estados da nossa região”, argumentou.

Desde a confirmação dos primeiros casos da doença no Acre, o governador Gladson Cameli tem buscado estruturar a rede pública de Saúde para salvar vidas. Dois novos hospitais foram construídos em menos de dois meses, equipamentos e insumos hospitalares foram adquiridos para atender a demanda, além da valorização dos servidores da Saúde. Recentemente, o gestor sinalizou a intenção de negociar a compra de 700 mil doses da CoronaVac, vacina desenvolvida pela biofarmacêutica chinesa Sinovac Biotech, em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo.

“Temos colocado a vida em primeiro lugar. Por isso, temos feito tudo que podemos para que as pessoas tenham acesso a um atendimento de qualidade. Agora, o nosso principal desafio é conseguir essa tão aguardada vacina. Sou muito otimista e tenho fé em Deus que vamos conseguir imunizar a nossa população”, afirmou o gestor.

O governo do Acre já deu início a sua estratégia de imunização. Considerada uma das maiores campanhas de vacinação da história, a rede de frios do Estado será ampliada para o armazenamento das doses e os profissionais envolvidos receberão capacitações específicas. A expectativa é que a população seja imunizada a partir do primeiro semestre de 2021.

Consórcio de Governadores da Amazônia Legal tem novo presidente

A reunião ocorrida por videoconferência também foi marcada pela aclamação do governador do Maranhão, Flávio Dino, como novo presidente do Conselho de Governadores da Amazônia Legal no próximo biênio (2021-2022).

Em sua palavras, o gestor maranhense enfatizou que dará continuidade ao trabalho do atual presidente, governador Waldez Góes, do Amapá, e será um defensor das causas prioritárias dos estados amazônicos.

“A nossa gestão à frente do Conselho será marcada pelo diálogo, sobretudo levando e defendendo nossas demandas junto ao governo federal. O momento é desafiador, devido à pandemia, e isso requer ainda mais responsabilidade da nossa parte”, comentou.