Assessoria – Até o final do mês de janeiro, o governo do Acre deve publicar no Diário Oficial a licitação que prevê a contratação de empresas de transporte para adoção do serviço oficial de deslocamento de servidores durante atividades administrativas. O programa é semelhante ao TáxiGov, utilizado pelo governo federal.

A notícia foi dada pelo secretário adjunto de planejamento, Victor Bonecker, durante visita de uma equipe de servidores do estado do Pará, que também aderiu ao sistema e se disponibilizou em colaborar com a troca de informações.

O grupo foi recebido pelo governador Gladson Cameli e também pelo secretário de Estado de Planejamento, Ricardo Brandão, na tarde desta quarta-feira, 16, no Palácio de Rio Branco.

“Para nós é importante essa troca de experiência com outros estados, pois podemos ter um reflexo de como implantar o serviço e trazê-lo para a nossa realidade. No lugar do Estado comprar veículos e depois gastar com manutenção, vamos contratar o serviço de quem já oferece o transporte, economizando dinheiro público, fazendo a economia girar e ainda valorizando o serviço desses trabalhadores”, destacou o governador Gladson Cameli.

Os motoristas atualmente responsáveis pelo transporte oficial dos servidores serão remanejados para outras funções e o serviço será substituído pela empresa que cumprir os seguintes requisitos: tenha o menor valor por quilômetro rodado, ferramenta adequada para solicitação de corrida, seja por site ou aplicativo e ainda quantitativo suficiente de motoristas cadastrados para atender ao serviço.

“Estamos terminando de desenvolver o edital para iniciar o processo de licitação e, baseados na troca de experiência, podemos analisar os aspectos que deram certo em outro estado e diminuir possíveis erros que surgiriam, caso não recebêssemos qualquer auxílio. Nossa procura é pela modernização da gestão pública, trazendo mobilidade e agilidade dos serviços”, explicou Victor Bonecker.

Com o sistema em funcionamento desde o ano passado, o coordenador de Licitações do Pará, Italo Vaz, diz que desde a substituição do serviço o Estado tem garantido, além da redução de gastos, a redução do tempo de espera de deslocamentos e, ainda, a segurança dos servidores com acesso a rotas utilizadas.

“Nossa experiência no Estado do Pará tem sido bastante satisfatória e viemos apoiar o governo do Acre, disponibilizando nossa colaboração no que for necessário para desenvolver a melhor forma de contratação desse serviço. O servidor hoje não precisa de carro, mas de mobilidade e podemos garantir que a contratação desse serviço beneficia não só o Estado, com a redução de gastos, mas também a economia, com a geração de emprego e renda”, colaborou Ítalo Vaz.