Assessoria – O governador Gladson Cameli está empenhado em encontrar todas as alternativas para imunizar a população acreana contra o coronavírus. Por isso encontrou-se com o governador paulista João Dória, no Palácio Bandeirantes, em São Paulo, nesta quarta-feira, 9, para avaliar a possibilidade de adquirir a vacina Coronavac para o Acre.

O presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, e o secretário de Saúde do Acre Alysson Bestene também participaram do encontro. Os dois debateram aspectos técnicos da imunização de acordo com os protocolos científicos vigentes.

O Butantan está recebendo lotes da matéria-prima da vacina, produzida pela indústria farmacêutica chinesa Sinovac,  e, com esse insumo, poderá concluir a etapa final de fabricação da Coronavac, enquanto aguarda registro e autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Gladson Cameli deixou claro que a questão da urgência do Acre em adquirir a vacina é absolutamente humanitária e não política: “A nossa prioridade é salvar vidas e não vou perder tempo com outras discussões. Nós temos que adquirir a vacina e pensar na logística do transporte e de armazenamento dos medicamentos. Vou fazer o que puder para que nossos profissionais da Saúde, que estão na linha de frente do enfrentamento da pandemia, sejam os primeiros a serem vacinados. Queremos vencer logo as etapas e a burocracia, porque vidas não podem esperar”, disse o governador.

Por sua vez, o governador João Dória abriu todas as possibilidades para o Acre entrar no consórcio e adquirir com rapidez os primeiros lotes da vacina Coronavac.

“O governador do Acre é o décimo que nos procura esses dias para formalizar a intenção de adquirir a vacina contra a Covid-19 do Instituto Butantan. O governo de São Paulo disponibilizou quatro milhões de doses para outros estados que tenham a intenção de ter a vacina para atendimento prioritário aos profissionais de saúde. Teremos disponibilidade da vacina a partir do mês de janeiro. Para isso, estamos seguindo todos os preceitos e protocolos da Anvisa”, salientou Dória.

Vacinas aprovadas cientificamente

Alysson Bestene explicou quais os critérios que serão utilizados pelo governo do Acre para comprar as vacinas: “Levaremos em consideração as evidências científicas para a compra de qualquer vacina. Desde que cumpridos os protocolos e o registro na Anvisa, qualquer das vacinas em estudo nos interessa, pois queremos preservar vidas. E a do renomado Instituto Butantan não é diferente. Eles estão desenvolvendo essa tecnologia no nosso país respeitando a comunidade científica e os protocolos sanitários”, ressaltou.