Um policial militar da reserva da cidade de Sena Madureira, interior do Acre, preso preventivamente por ameaçar matar a ex-mulher com uma barra de ferro, teve a liberdade concedida pela Vara Criminal da cidade, no último dia 26, durante audiência de instrução.

Além de ameaçar matar a ex, o PM descumpriu as medidas protetivas impostas pela Justiça em outubro e responde também por injúria qualificada.

O advogado do PM, Matheus Moura, disse que tinha entrado com um habeas corpus pedindo a soltura do cliente antes da audiência de instrução. Contudo, a audiência ocorreu primeiro e o cliente foi solto.

Após isso, a Câmara Criminal julgou o HC e o desembargador Samoel Evangelista negou a liberdade do PM. “O habeas corpus era para ter sido julgado prejudicado porque ia perder o objeto que seria a soltura do réu. O Ministério Público se manifestou desfavorável, mas mesmo assim [o juiz] acatou o pedido da defesa e decidiu revogar a prisão dele e deixar as cautelares”, destacou.

Ainda segundo Moura, o militar não pode se aproximar da vítima e nem dos familiares dela, não pode sair durante a noite e deve comparecer em juízo sempre que solicitado.

“A prisão preventiva dele foi decretada justamente porque o juiz entendeu que houve o descumprimento das medidas quando ele foi no escritório. Ele responde pelos três crimes”, afirmou.

Processo

Segundo a Justiça, o PM ameaçou a ex-mulher com uma barra de ferro durante uma briga do ex-casal. O acusado estaria embriago e tinha usado entorpecentes no dia, conforme a Justiça.

Ele foi preso e proibido de se aproximar da vítima. Porém, ele teria aparecido no escritório de contabilidade que dividia com a ex-mulher, revirado a bolsa dela e conversado com a sobrinha dela.

A Justiça decretou a prisão preventiva, mas substituiu essa prisão pelas medidas cautelares novamente.

Por Aline Nascimento, G1 Acre