O Censo da Educação Superior 2019, divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e pelo Ministério da Educação (MEC), revela que 2019 foi o primeiro ano em que o número de ingressantes em cursos de Ensino a Distância (EaD) ultrapassou a quantidade de estudantes que iniciaram a graduação presencial na rede privada. Além disso, constatou-se que 63,2% (10.395.600) das vagas ofertadas no ano passado foram na modalidade EaD.

Atualmente 88,4% das 2.608 instituições de educação superior no Brasil são privadas e 50,7% (1.559.725) dos alunos que ingressaram nessas instituições em 2019 optaram por cursos de EaD. “Observamos o crescimento do ensino a distância já há algum tempo e neste ano o total de alunos que optaram pela modalidade aumentou muito. É um ano histórico, que concretiza uma mudança de comportamento”, comenta o reitor do Centro Universitário Internacional Uninter, Benhur Gaio.

Segundo o Censo, em 2019, a rede privada ofertou 94,9% do total de vagas para graduação, enquanto a rede pública disponibilizou 5,1% das oportunidades. Os dados mostram também que a cada quatro estudantes de graduação, três frequentam estabelecimentos de ensino privados – 75,8%, totalizando 6,3 milhões de alunos estudando em instituições particulares.

O levantamento apontou também que entre 2009 e 2019 o número de matrículas da educação a distância aumentou 378,9%. Gaio explica que esse aumento pode indicar mais acesso ao ensino superior. “A modalidade EaD é flexível, acessível, mais barata, cabe no orçamento familiar. Além de estimular o desenvolvimento científico do país, o ensino superior pode mudar perspectivas de vida, abrindo novos caminhos no mercado de trabalho”.

Referência em EaD

O Grupo Uninter é um exemplo do potencial do EaD. A metodologia de ensino, por exemplo, foi estruturada pensando na flexibilidade do aluno, que pode organizar seus dias e horários de estudos. A modalidade mescla tecnologias digitais e analógicas, com momentos ao vivo ou gravados, presença obrigatória para realização das avaliações e atendimento online de tutoria e orientação educacional por professores. Materiais como livros, físicos e digitais, são fornecidos aos alunos. Além disso, para potencializar ainda mais o desenvolvimento, em alguns cursos, como os da área de engenharia, são disponibilizados laboratórios portáteis.

Ao longo dos seus 20 anos de história, a Uninter, que conta hoje com mais de 700 polos, já formou mais de 505 mil alunos e é considerada uma das melhores instituições do país. O centro universitário tem nota 4 no Índice Geral de Cursos (IGC) e 5 no Conceito Institucional (CI). Mais de 400 cursos entre graduação, pós-graduação e extensão são ofertados pela instituição.