Assessoria – A Polícia Civil do Acre, juntamente com Grupo de Enfrentamento aos Crimes Contra a Ordem Tributária (Gecot) e Secretaria da Fazenda (Sefaz), por meio da Diretoria de Administração Tributária (DAT), com apoio da Delegacia Fazendária de Cuiabá (Defaz) deflagraram nas primeiras horas desta quarta-feira, 02, a “Operação Omaggio”.

Foram cumpridos 20 mandados de busca e apreensão, 4 mandados de prisão na capital, em Feijó e em Cuiabá/MT. Dos 20 mandados, 13 foram cumpridos na capital, 3 em Feijó e 1 em Cuiabá/MT. Durante a ação policial, quatro empresários do ramo de frios foram presos e apreendidos ilícitos como: notas fiscais frias, armas, munição, dinheiro, anotações e descoberta movimentação financeira de R$ 17.000.000,000 (dezessete milhões de reais) em um período de 12 meses, o que gerou auto de infração tributária R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais).

A operação conjunta também pediu o bloqueio de nove contas bancárias, sequestro e apreensão de 11 veículos. A investigação policial e fiscal durou cerca de 60 dias onde foi observado ramificação da ação criminosa em Cuiabá/MT.

Segundo a polícia, algumas empresas eram constituídas com endereços fictícios, usadas como “laranja” e seus sócios não passavam de pessoas comuns sem nem um poder aquisitivo. Os “cabeças” da ação usavam essas empresas para efetuar compras fora do Estado com auxilio de um representante comercial de Cuiabá, que faturava a mercadoria em nome dessas empresas como forma de burlar a fiscalização tributária, o que configura a fraude financeira , á que a empresa era usada tão somente como “laranja”.

De acordo com delegado coordenador da operação, delegado Pedro Resende, acredita-se que mais pessoas deverão ser presas nas próximas horas.

“Teremos, a partir de agora, mais desdobramentos dessa ação policial devido a material robusto encontrado durante o cumprimento dos mandados. Tudo isso será analisado dando seguimento a investigação criminal e fiscal”, disse Resende.

O Delegado-Geral da Policia Civil do Acre, Josemar Moreira Portes, ressaltou o trabalho desenvolvida pela instituição de forma conjunta com órgão do governo.

“Estamos cada vez mais nos apropriando dessa expertise investigativa com a colaboração da Secretaria da Fazenda para enfrentar de maneira firme esse tipo de crime. Toda sociedade requer de nós essa doação e estaremos cada vez mais aptos para inibir e responsabilizar aqueles que escolherem os caminhos a margem da lei”, disse Josemar Portes.

Para Clovis Monteiro, representante da Secretaria da Fazenda Estadual e Diretor Administrativo Tributária “todo material apreendido será submetido à análise de peritos fiscais tributários no intuito de identificar ramificações de pessoas que agem na tentativa de burlar a fiscalização tributária do Estado”.

O nome da operação “Omaggio” refere-se à palavra tributo em italiano, uma vez que tal cobrança estatal remota ao antigo Império Romano.