O Diretor Técnico do Hospital Regional do Juruá foi afastado das funções, após a Polícia Federal deflagrar, nesta quarta-feira (2), a operação “Choro de Hipócrates”, que investiga a lotação irregular de servidores da saúde em várias unidades de saúde no interior do Acre. A PF não divulgou o nome do diretor que foi afastado.

A PF identificou as irregularidades, uma delas acúmulo de funções com carga horária incompatível e sem prestar serviço nas cidades de Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves, Mâncio Lima, e também em Rondônia (RO), Minas Gerais (MG) e Bahia (BA).

“Inúmeros agentes públicos da área da saúde estariam supostamente acumulando, de forma indevida, trabalhos com aparente incompatibilidade de horários, recebendo valores públicos sem realizar a devida contraprestação, gerando, com isso, prejuízos para os diversos entes da federação, em específico para a União, ante os indícios de fraude no programa federal Mais Médicos do Brasil e no Sistema Único de Saúde (SUS)”, informou a PF.

Entramos em contato com a Secretaria Estadual de Saúde do Acre (Sesacre) e foi informado que a responsável pela administração do Hospital do Juruá é a Associação Nossa Senhora da Saúde (Anssau). Tentamos contato com a direção da Anssau, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.

Após as investigações, a Justiça Federal de Cruzeiro do Sul, no Acre, expediu 14 mandados de sequestro de bens, um mandado de busca e apreensão e um mandado que impôs três medidas cautelares devido à prisão de um dos investigados. Além disso, foram bloqueados R$ 3,2 milhões.

Ainda segundo as investigações, foi possível identificar que o controle de frequência e permanência dos médicos nos hospitais não existe, como o registro de ponto eletrônico, o que contribui para a prática de crimes.

“Diante desse ‘estado inconstitucional’ que se encontra o atual sistema público de saúde da região, a Polícia Federal representou, perante o juízo federal competente, pelo sequestro de veículos, casas e demais bens adquiridos com dinheiro público obtido através de condutas supostamente criminosas (possíveis estelionatos contra a Administração Pública), bem como pelo bloqueio de ativos financeiros, buscas, apreensões e por medidas cautelares diversas da prisão”, acrescentou a PF.

Sobre a Operação

A operação recebeu este nome devido Hipócrates ser considerado por muitos uma das figuras mais importantes da história da medicina, frequentemente considerado o pai da medicina. Foi ele quem escreveu um juramento, denominado de o juramento de Hipócrates. Este juramento é reproduzido pelos médicos durante formaturas, no qual juram praticar a medicina honestamente. Do G1 Acre.