Uma série de áudios vazados por supostas servidoras terceirizadas do DEPASA, denuncia ação de diretores, que fazem pagamentos irregulares e ofereciam permanência no emprego em troca de sexo.

A matéria veiculada na manhã desta terça-feira (24) no site AcJornal, revelou que além de esquemas que envolve violação dos direitos trabalhistas de vários servidores, alguns diretores do DEPASA estariam aliciando algumas mulheres em busca de relação sexual.

O que chama atenção nas denúncias, foi a citação do ex-diretor do órgão e afilhado político do senador Márcio Bittar (MDB), que é o responsável pelas indicações no comando da Autarquia. Além do ex-presidente Tião Fonseca, seu primo, Aruda Mamed, atual diretor Financeiro e Administrativo, também é um dos alvos das denúncias.

O governador Gladson Cameli informou há pouco que todos os cargos de natureza política do Depasa serão exonerados. A primeira leva de exonerações sairá no Diário oficial desta quarta-feira.

Até a sexta-feira o governo deve encerra o “limpa” na empresa que responde pelo saneamento em todo o estado. Cameli disse que pedirá uma investigação do Ministério Público para apurar suspeitas de corrupção que se arrastam há vários meses.

“Vou despolitizar o Depasa. Não tem mais cabimento”, declarou Gladson. “Voltaremos com a Sanacre com um foco prioritário na valorização dos servidores”, informou o governador.

O governador determinou à Procuradoria Geral do Estado (PGE) a confecção de um projeto para reativar a Sanacre, a extinta companhia de saneamento do Acre. A mensagem do executivo, com as justificativas, será encaminhada para votação na Assembleia Legislativa. A ideia é reativar a Sanacre e fazer a migração dos trabalhadores.

Ouça o áudio;