As 45 pessoas presas na Operação Calebe da Polícia Civil de Feijó, foram denunciadas pelo Ministério Público do Acre (MP-AC) por participarem de organização criminosa. Os suspeitos participaram, entre os dias 18 e 19 de novembro, de uma audiência de instrução.

Operação Calebe foi deflagrada no mês de julho contra uma organização criminosa e cumpriu mais de 90 mandados judiciais. Inicialmente eram 115 mandados, mas dos 61 de prisão preventiva, 40 foram localizados, sendo 29 de pessoas que estavam pelos bairros da cidade e outros 11 na unidade prisional de Feijó. Além desses, outros 54 mandados de busca e apreensão também foram cumpridos.

Foram cerca de 80 policiais envolvidos na Operação Calebe, sendo 20 dos recém empossados pelo governo do estado. Mais de 20 viaturas foram usadas na ação.

O objetivo principal da ação foi desarticular facções criminosas que atuam na cidade na prática de diversos crimes como homicídios, roubos, furtos e tráfico de drogas. Na época, a Polícia civil informou que todos os mandados eram pelo crime de integrar organização criminosa.

Na audiência, o MP-AC pediu a condenação de todos os envolvidos.

Do G1 Acre