O Conselho de controle de atividades financeiras – COAF, encaminhou aos órgãos de controle federais do do Amazonas, um relatório completo de operações suspeitas que podem configurar o que eles chamam de uma organização criminosa, durante a gestão do ex-prefeito Samuel Farias e Dr.º Hélio de Paula enquanto estiveram à frente da prefeitura de Guajará.

Os citados no relatório detalhado do COAF, indica que os saques e operações foram feitos pelos próprios Hélio de Paula, Samuel Farias, os secretários Ilson Lourenço, Raquel Farias e de Márcio Ribeiro. Foi colocado no relatório saques e operações na ordem de R$ 5.978.281,00, quase 6 milhões de reais das contas da prefeitura de Guajará.

Márcio Ribeiro movimentou R$3.72.844,30 em aplicações, 156.213,00 pago em compensação de cheques, 133.627,00 sacados em espécie, 110.000,00 em aplicação em previdência privada, 77.762,00 em gastos com cartões e 47.000,00 remetidos a empresa Bebidas Cruzeiro LTDA.

Esses montantes foram movimentados na conta 60.534 Ag. 1060 no Banco do Bradesco em Cruzeiro do Sul.

  • A polícia Federal passou a desconfiar do montante, que é incompatível, com as atividades econômicas e patrimoniais de Ribeiro.
  • Movimento de Valores superiores a 10 mil, que pela quantidade, configuram artifícios para burlar os limites do Banco Central do Brasil.
  • Movimentação de Recursos em Praças de região de Fronteira.
  • Retirada de quantia significativa em contas pouco movimentadas.

Em sua conta pessoal, o candidato a prefeito e na época secretário de Finanças Marcio Ribeiro, recebeu depósitos sem identificação que vieram das cidades de Cruzeiro do Sul, Manaus e Marabá no Pará. R$ 75.00,00 de operação de crédito e 13.00,00 em resgate.

No relatório ainda aparece operações de R$208.054,00 em compensação de cheques, 101.491,00 em saque de espécie, 20.814,00 pagamentos diversos e 73.000,00 enviados a empresa J.G Rodrigues e CIA e 10.000,00 na conta de sua esposa Josiane Ribeiro.

Raquel de Oliveira Farias, que disputa o cargo de vereadora em Guajará e irmã do ex-prefeito Samuel, é apontada como membro do esquema pela justiça. Segundo o relatório do COAF, Raquel efetuou operações no valor de R$ 1.406.294,00, quase 1 milhão e meio em movimentações suspeitas.

O montante de cada movimentação em destaque

Por ironia do destino, todos os envolvidos nesta investigação estão juntos nessa eleição. Hélio de Paula é vice na chapa de Márcio Ribeiro, Raquel Farias disputa a eleição de vereadora e Samuel Farias é um dos apoiadores.