Único lugar de acolhimento e referência para mulheres vítimas de violência doméstica, a Casa Rosa Mulher, criada e mantida pela Prefeitura de Rio Branco, está passando por um ampla reforma em sua estrutura física com o objetivo de melhorar as condições de atendimento.

A obra teve início em junho de 2020 e encontra-se em fase final, segundo informou a secretária municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Núbia Musis. “Houve uma atraso por conta da pandemia, mas está quase pronta para a entrega. Desde 2015, quando foi atingida pela alagação que a deixou praticamente destruída, a Casa ainda não havia sido reformada”, disse.

A reforma e revitalização da Casa Rosa Mulher somente está sendo possível por decisão da prefeita Socorro Neri que autorizou a alocação de recursos próprios do Município para complementar os recursos provenientes de doação, que somam R$ 750 mil em investimentos. “Por meio de uma articulação com a Fundação Nova Caritas, conseguimos 100 mil euros, mas que não era o suficiente para toda a reforma e, por isso, foi complementado com recursos próprios da Prefeitura, que resultou num Termo de Cooperação, assinado pela prefeita Socorro Neri, visando a execução da obra e revitalização da Casa Rosa Mulher,” explicou a secretária.

Com a reforma, a Casa Rosa Mulher, está passando por mudanças estruturais, que irão possibilitar a ampliação e melhorias nas condições de atendimento. “Conservamos a forma original no projeto, todavia a parte térrea hoje é toda de alvenaria, só a parte de cima ainda conservamos em madeira, pois a Casa tem toda uma história de premiações, assim a forma arquitetônica foi mantida.”, acrescentou Núbia Musis.

Além da parte física, de acordo com a secretária, haverá outros benefícios paras as mulheres atendidas, como a ampliação da equipe multidisciplinar que atenderá no espaço. “Aumentaremos a capacidade de atendimento das mulheres nas mais variadas demandas, e também na oferta de cursos que são ministrados: cabeleireiro, manicure e pedicure, culinária, corte e costura, entre outros.”, detalhou.

Além dos espaços para atendimento, salas para os cursos e a parte administrativa, a estrutura física da Casa Rosa também dispõe de uma brinquedoteca e espaço para reuniões e disponibiliza de uma equipe técnica formada por uma psicóloga, assistente social e uma assessora jurídica.

“Além de fazer o acolhimento e o fortalecimento psicológico da mulher vítima para que ela possa romper com o ciclo de violência doméstica, um dos objetivos da Casa Rosa Mulher é contribuir para a geração de renda através dos cursos gratuitos. A dependência econômica, em muitos casos, é o que faz com que ela permaneça no ciclo da violência,”, acrescentou a coordenador Nádia França.

Em função da reforma, o atendimento da Casa Rosa Mulher está sendo feito no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), localizado na rua Hugo Carneiro, número 26. Contato pelo telefone: 3224-5117/ 3211-2474.