Um fazendeiro da cidade de Mâncio Lima, teve um recurso negado pela Justiça acreana e deve indenizar um vizinho, também fazendeiro, que teve o pasto e uma cerca destruídos pelo fogo.

A queimada iniciou na propriedade do acusado, que perdeu o controle da situação e o fogo foi para a propriedade vizinha. Além de perder o pasto e a cerca, a vítima afirmou que também perdeu um garrote no valor de R$ 1,2 mil.

Após o incêndio, o vizinho entrou com uma ação no Juizado Especial contra o fazendeiro pedindo R$ 1,2 mil pelo animal, R$ 200 pela cerca e R$ 200 pelo aluguel de um pasto que teve que gastar para colocar os animais.

Recurso

Ao entrar com recurso contra a primeira decisão, o fazendeiro alegou que o vizinho não apresentou as notas fiscais dos valores gastos com o incêndio e, com isso, não tinha como provar os prejuízos.

A 2ª Turma Recursal dos Juizados Especiais manteve a sentença de primeira instância, mas determinou que a indenização deve ser de apenas R$ 250 pelo valor do arame que a vítima comprou para colocou na cerca.

A advogada do acusado, Paula Yara, explicou que a decisão não cabe mais recurso para rever a situação.

“Ele tocou fogo na terra dele e o fogo entrou na terra vizinha. Em primeira instância, ele entrou com uma reclamação e disse que perdeu um garrote, teve que alugar pasto e pediu dinheiro pelo garrote. Só que ele não tinha provas, recibos, desse material e não apresentou”, destacou.

A advogada afirmou também que até o depoimento das testemunhas apresentou conflitos e não esclarecia a situação. “Cada testemunha dizia um número diferente de animais, ele não soube dizer também quando aconteceu o fato, só que foi em 2018”, garantiu.

Do G1 Acre