A Justiça do Acre negou recurso e manteve a condenação por peculato culposo de dez moradores de Sena Madureira, interior do Acre. Entre os réus está a ex-diretora do Hospital João Câncio Fernandes, Antônia Gadelha Vasconcelos.

A ex-diretora foi condenada a oito anos e nove meses em regime fechado mais multa. Além dela, a Justiça manteve a sentença contra uma ex-gestora do Posto de Saúde Elson Damasceno, de seis anos e seis meses, e de oito pessoas que seriam funcionários fantasmas da saúde de Sena Madureira.

A Câmara Criminal de Sena Madureira julgou o recurso dos acusados e manteve, por unanimidade, a decisão em primeira instância. O grupo recorre em liberdade.

O advogado de Antônia Vasconcelos, Gelson Neto, informou que vai recorrer novamente do resultado e levar as provas para apreciação no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A reportagem tentou contato ainda com a defesa dos demais acusados, mas não conseguiu reposta até a última atualização desta matéria.

Condenação

Segundo a Justiça, a ex-diretora do hospital de Sena Madureira permitiu o pagamento de salários para os acusados sem que eles prestassem serviço para a saúde do município. As irregularidades foram descobertas em 2016.

No decorrer do processo, a Justiça identificou que alguns dos acusados estudavam no exterior, mas continuam recebendo sem trabalhar, foram afastados e não retornaram mais para o trabalho, outros ocupavam cargos políticos e alguns até tinham acordos apenas verbas com a administração pública.

Além da condenação, os acusados não podem exercer cargos públicos e um deles, que já estava aposentado, teve o benefício cassado porque teria praticado o crime enquanto ainda estava na ativa.

Na decisão, o desembargador Élcio Mendes destacou que os crimes praticados prejudicaram especificamente a população que precisa dos atendimentos e serviços da saúde.

“Os réus agiram com conduta desonesta, incompatível e ilegal para com o serviço público”, afirmou.

Do G1 Acre