Jair Bolsonaro, Fabrício Queiroz e Flávio Bolsonaro (Foto: Agência Brasil | Reprodução)

No última dia 20 de outubro, Jair Bolsonaro teve um acesso de raiva, em seu gabinete no Palácio do Planalto, que chamou atenção até de funcionários que trabalhavam no local, informou a jornalista Bela Megale, em sua coluna no jornal O Globo. 

A jornalista informa que o ataque de Bolsonaro ocorreu um dia depois do Ministério Público do Rio protocolar a denúncia contra o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) no caso do pagamento de “rachadinhas”. Bolsonaro criticou os investigadores e, mais uma vez, disse que Flávio é perseguido por ser seu filho.

Segundo auxiliares do presidente, o episódio aconteceu após o MP ajuizar a denúncia contra o seu filho “01” no Órgão Especial do Tribunal de Justiça fluminense, pelos crimes de peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro junto a Fabrício Queiroz.