É evidente que no período eleitoral os adversários acabam tentando denegrir e desqualificar o concorrente para tentar se beneficiar em cima da desgraça dos outros e aparentemente é o que está acontecendo no município de Brasileia.

Atualmente um Site de notícias, que vem se notabilizando por fazer fervorosa defesa da candidatura de Leila Galvão (MDB) a prefeitura de Brasileia e, por outro lado, intensa campanha negativa da prefeita Fernanda Hassem (PT), foi criado no dia 18/05/2020, claramente com o objetivo de denegrir a imagem da candidata Fernanda Hassem. 

Mas o que chamou atenção foi o fato de o site de notícias ter como proprietário o reeducando e proprietário da empresa de promoção de vendas L3 – ME, cujo CNPJ consta no registro do referido site, Ediogley Levi de Figueiredo, que foi condenado a mais de 18 anos de prisão.

Ediogley foi condenado pela pratica dos crimes previstos no art. 307(falsa identidade), no art. 217-A, (estupro de vulnerável), no art. 146 (constrangimento ilegal) e no art. 241-B, da Lei 8.069/90, (posse ou manutenção de pornografia contendo imagens de criança ou adolescente).

Segundo os autos, o réu aproveitando-se do fato de ser namorado da mãe da vítima, e, consequentemente, ter conhecimento de que esta estava viajando à trabalho, após ter conseguido fotos nuas da menor de 14 anos, passou a chantageá-la, utilizando-se de ameaças a sua vida e de sua família, com o propósito de praticar o crime de estupro.

Na sentença, o magistrado sentenciante apontou que a materialidade dos delitos estava solidamente comprovada, por meio do depoimento da vítima em juízo e pelo acervo probatório colhida na fase de investigação.

O Site de apoio aos candidatos do MDB

Não é preciso muito esforço para comprovar a predileção do site, registrado em nome de Ediogley, pela candidatura de Leila Galvão a prefeitura de Brasileia.
Se de um lado elogia Leila Galvão, de outro faz duras críticas ao trabalho desenvolvido pela prefeita Fernanda Hassem.

Nos últimos dias foram publicadas uma série de matérias favoráveis à candidata emedebista, cujo coordenador de campanha é o recém condenado por corrupção, Aldemir Lopes.

Clique aqui e veja uma parte do processo de Ediogley Levi de Figueiredo

A redação do 3 de entrou em contato com Ediogley Levi para que o mesmo se pronunciasse sobre o assunto, porém Levi preferiu não se manifestar sobre o caso do estupro, mas falou que seu site não foi criado para atacar a prefeita Fernanda Hassem, que também tinha matéria publicada ao seu favor. “É um site independente, não recebo nada de ninguém”, disse Ediogley.