O mês de Outubro é dedicado a mobilização Nacional de Combate à Sífilis. Com o objetivo de sensibilizar a população a Prefeitura de Rio Branco em parceria com o Governo do Estado, iniciam a campanha nacional de Combate à Sífilis nesta segunda-feira, 26, na superintendência do Ministério da Saúde no Estado do Acre. A ação pretende estimular atividades educativas e aumentar a oferta de testes rápidos em combate à doença.

O objetivo da campanha é sensibilizar a população através dos meios de comunicação ao incentivando a prevenção e o diagnostico e tratamento, da sífilis adquirida, sífilis em gestante e sífilis congênita.

Ações fazem parte de uma força-tarefa de integração por meio do ‘Sífilis Não’, Superintendência do Ministério da Saúde, as áreas técnicas Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre).

No Município de Rio Branco no ano de 2019, foram notificados no SINAN 667 casos de sífilis em adquirida, 319 casos de sífilis em gestantes, e 19 casos de sífilis congênita. Em 2020 foram notificados no SINAN até o terceiro quadrimestre, 243 casos de sífilis adquirida, 150 casos de sífilis em gestantes 12 casos de sífilis congênita.

Durante a programação desta segunda serão ofertadas as seguintes atividades:

Roda de conversa sobre violência, suicídio e sífilis.

Testagem rápida para sífilis, HIV, Hepatite B e hepatite C.

Ginástica laboral

Massagem laboral

Sessão de maquiagem

Vacinas disponíveis: hepatite B, sarampo, pneumo 23, dupla adulto (tétano e difteria)

Auriculoterapia

Segundo dados do Boletim Epidemiológico 2019 do Ministério da Saúde, Em 2018, foram notificados no SINAN 158.051 casos de sífilis adquirida (taxa de detecção de 75,8 casos/100.000 habitantes); 62.599 casos de sífilis em gestantes (taxa de detecção de 21,4/1.000 nascidos vivos); 26.219 casos de sífilis congênita (taxa de incidência de 9,0/1.000 nascidos vivos); e 241 óbitos por sífilis congênita (taxa de mortalidade de 8,2/100.000 nascidos vivos.)

A sífilis é uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema Pallidum. Podem se manifestar em três estágios, sífilis primária, sífilis secundaria e sífilis terciária. Os maiores sintomas ocorrem nas duas primeiras fases, período em que a doença é mais contagiosa. O terceiro estágio pode não apresentar sintomas e, por isso, dá a falsa impressão de cura da doença.