Os ventos soprados no município de Brasileia, parecem não estar a favor da candidata à prefeita pelo MDB, Leila Galvão, dentre os três candidatos à prefeito e faltando apenas 25 dias para as eleições, somente Leila Galvão ainda não teve sua candidatura deferida pela justiça eleitoral.

Os demais candidato não só tiveram suas candidaturas deferidas, como também não sofreram Ação de Impugnação de Registro de Candidatura (AIRC) movida pelo Ministério Público Eleitoral. Assim como a candidata Leila que até o momento sua candidatura aguarda por julgamento.

Em se tratando da ação de impugnação, o promotor da 6ª Zona Eleitoral, Thiago Marques Salomão, sustenta que. De acordo com o SisConta Eleitoral 2020 (ferramenta disponibilizada pelo Ministério Público Federal), existem inúmeras irregularidades da candidata relativas a processos oriundos do Tribunal de Conta do Estado do Acre (TCE), todas do período em que Leila Galvão foi prefeita do município.

Entre as acusações listadas pelo promotor, consta a acumulação ilegal de subsídios, com remuneração de cargo efetivo, por Leila, referente ao exercício financeiro de 2009. Por essa razão, Leila foi multada pelo TCE em R$ 3.570,00. A penalidade foi aplicada em 28/09/2017, perdurando seus efeitos até 28/09/2025, ou seja, por 8 anos contados da data da decisão.

Em outro processo, são apontadas irregularidades na prestação de contas de gestão da Prefeitura de Brasiléia, referente ao exercício de 2011, reconhecidas pelo TCE, que não lhe multou em razão de prescrição. Essa penalidade foi aplicada em 17/10/2017, perdurando seus efeitos até 17/10/2025.

Mesmo estando na ‘lista negra’ do Tribunal de Contas do Estado (TCE) como condenada, com trânsito em julgado, por ter tido suas contas reprovadas, a ex-prefeita e ex-deputada Leila Galvão, recém-filiada ao MDB, se mostrou bastante segura em uma postagem que fez anteriormente nas redes sociais, onde faz uma afronta às leis, segura de que não dá a mínima para a decisão do colegiado de conselheiros e que não haverá punição para suas rejeições de contas.

Esta postagem ocorreu após o tribunal de Contas do Estado divulgar uma lista de figuras políticas que estariam inelegíveis e não poderiam concorrer ao processo eleitoral, dentre os inelegíveis estava Leila que em seguida fez sua postagem, onde afirmou: “A mesma situação aconteceu em 2018 e participei do processo eleitoral” escreveu Leila em sua postagem.

Na sua postagem, Leila foi mais longe insinuando que a postagem referente a lista do TCE demonstrava desespero por parte de seus adversários políticos.