A candidata a vereadora nesta propaganda nem o CNPJ colocou, o crime é maior ainda – Arte Facebook Railda Souza

A candidata a vereadora pelo Partido Progressista de Brasileia, Railda Souza, tem se mostrado rebelde em suas ações de ir contrário ao posicionamento do partido no qual ela integra e principalmente contrariando o que está registrado em Ata.

A candidata Railda era uma das poucas defensora da aliança do Progressista com MDB, mas como quem determina é a maioria do partido e a executiva municipal o PP decidiu durante a convenção e registrou em Ata que caminharia nesta eleições com o Partido dos Trabalhadores.

Mas como todo grupo sempre tem os contra e no meio desta meia dúzia, estão Railda que vem fazendo campanha com material irregular sem constar o nome do candidato a prefeito, nem vice em suas artes. Railda faz campanha contra a decisão de seu partido; o vereador Joelso Pontes que estava certo de ser o vice do MDB, caso o partido aceitasse a aliança, mas como não foi possível ele não está concorrendo a nada e a sua irmã Joelma Pontes que abriu mão de sua candidatura ao cargo de vereadora para seguir rumos diferentes do PP.

A candidata pelo Progressista, tem usado as redes sociais para divulgar seu material de campanha constando somente seus dados, tentando uma candidatura independente (o que segundo a lei Lei 9.096 de 1995, é totalmente inadimicível) sem a propaganda do Majoritário e sequer coloca o CNPJ de sua candidatura. O Tribunal Regional Eleitoral deve ficar de olho nesses crimes eleitorais que está acontecendo na fronteira.

Contrariando a maioria dos filiados do PP de Brasiléia e a executiva municipal, que optaram em convenção pela aliança com Fernanda Hassem, Railda Souza e o vereador Joelson Pontes estão declarados na campanha da candidata Leila Galvão do MDB.

A justiça eleitoral deve agir para coibir candidatos infiéis, estes podem vir a sofrer sansões e até ter suas candidaturas impugnadas caso a executiva do partido venha a questionar sua conduta junto à justiça eleitoral.