A polícia civil do Estado do Acre indiciou o ex-diretor-presidente do Depasa, Tião Fonseca, a sua esposa, a empresária Delba Bucar e o ex-diretor financeiro Edson Siqueira, mais conhecido como Edson Bittar, pelos crimes de Associação Criminosa, Falsidade Ideológico e peculato.

O trio foi alvo no dia 3 de agosto da Operação “Toque de Caixa”, desencadeada pela Delegacia de Combate à Corrupção e aos Crimes contra a Ordem Tributária e Financeira (Decor), que constatou uma série de desvios de recursos públicos enquanto Fonseca esteve a frente do órgão, principalmente após ele pagar cerca de R$ 500 mil para empresa da própria esposa, a Bucar Engenharia.

Na época, o juiz Cloves Augusto Alves Cabral Ferreira, da 4ª Vara Criminal da Comarca de Rio Branco, determinou a prisão temporária de Tião e Delba e apenas o cumprimento de busca e apreensão na casa de Edson Siqueira. Apenas Fonseca foi preso temporariamente por 5 dias e Delba, por está em tratamento de saúde em Brasília, acabou não sendo detida. Por ac24horas