Em nome do governador Gladson Cameli, o representante do Acre em Brasília, Ricardo França, acompanhado dos deputados federais Alan Rick e Manuel Marcos; do secretário de Estado de Educação, Mauro Sergio Cruz; do procurador do Estado em Brasília, Armando Melo; da secretária de Ação Social do Acre, Ana Paula Lima; e do presidente do Instituto Estadual de Educação Profissional e Tecnológica (Ieptec-AC), Francineudo Costa; apresentou na tarde desta quarta-feira, 14, à ministra Damares Alves, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, os projetos de construção das escolas indígenas para ensino médio. França também solicitou à ministra a criação de uma força-tarefa interministerial para definir a situação dos imigrantes venezuelanos no estado.

Os projetos das escolas indígenas, apresentado pelo secretário Mauro Sergio Cruz, em vídeo, chamou a atenção da ministra pela modernidade das construções e, ao mesmo tempo, pelo materiais usados, típicos da região, como bambu e madeira. Damares disse que o projeto, depois da inauguração da primeira escola, poderá ser utilizado por outros Estados que tenham as mesmas características do Acre. “O que for necessário para que projetos como esse tenham êxito, podem contar com meu apoio”, disse a ministra.

Imigrantes

Com relação à problemática dos imigrantes venezuelanos que estão nas cidades do Acre, o representante do Estado, Ricardo França, solicitou à ministra a criação de uma força-tarefa interministerial para que as diversas faces dos problemas com a imigração fossem estudadas e solucionadas, para não deixar o Acre prejudicado em vários aspectos. França citou o grande problema que o Acre enfrentou com a onda de imigração dos haitianos, entre 2010 e 2016. “Ficamos com um prejuízo de R$ 12 milhões por conta das despesas com acolhimento e destinação dos imigrantes haitianos. Até hoje estamos tentando resolver essa situação”, frisou Ricardo França.

Por seu lado, a ministra disse que uma equipe do seu ministério está em Rio Branco fazendo um levantamento da situação e que acha altamente viável a criação dessa força-tarefa. Damares pediu a França que, nos próximos dias, logo que a sua equipe retorne, entre em contato com ela para que sejam traçados os primeiros passos para a criação da força-tarefa.

A secretária de Ação Social do Acre, Ana Paula Lima, também fez o diagnóstico da situação dos imigrantes, fazendo um esboço das ações sociais desenvolvidas. Segundo ela, apesar dos recursos serem poucos, o Estado vem cumprindo com sua obrigação social e tentando inserir as famílias venezuelanas no contexto socioeconômico do Acre. “Quando há solicitação, inclusive, fazemos destinação para outros estados”, salientou.

Os deputados Alan Rick e Manuel Marcos reforçaram os pedidos do governo e agradeceram o apoio que a ministra Damares tem dado aos pleitos apresentados para beneficiar o Acre e sua população.

O governador Gladson Cameli estava em outra agenda com membros do Banco Mundial.