O Atlético-AC foi batido pelo Galvez por 3 a 0, no clássico acreano da quinta rodada do Campeonato Brasileiro da Série D, na noite desse sábado (10), na Arena Acreana, e segue sem vencer na competição.

Após a partida, o técnico Everton Goiano, do Galo Carijó, destacou que o time celeste sentiu as ausências do zagueiro Renato Camilo e o meia Ciel, que não atuaram por problemas musculares.

– Nosso time sentiu muita falta desses jogadores que não puderam jogar. O Ciel é um jogador que dá o equilíbrio no setor de meio-campo. A gente acabou tendo que abrir três atacantes porque estava jogando com dois volantes e o Diego (Costa) não é de chegar muito, é um jogador que trabalha mais na criação do setor de meio-campo, aonde dá início da jogada. Não tinha como entrar com Psica e ficar com quatro volantes. Então, optei entrar com três atacantes e sofremos muito. O Matheus acabou nos ajudando na linha de zagueiro já que a gente perdeu o Camilo, que é o mais experiente que temos, e fez muita falta. É que o plantel nosso é muito curto e a gente acabou sofrendo – afirmou.

Mas, de acordo com o treinador, o resultado é campo é fruto também de problemas extracampo que ele espera serem solucionados pela direção do clube. Conforme apuração do ge, o Atlético-AC está com sete meses de salários atrasados – dos atletas que estão no elenco desde início da temporada. Atletas que chegaram para a disputa do segundo turno do Campeonato Acreano estão há dois ou três meses sem receber.

– Vou ter que conversar com a diretoria pra ver realmente o que eles querem porque pra classificar a gente tem que tomar uma posição o maio rápido possível. Eu tenho que conversar primeiro com o presidente, mas se não for resolvido os problemas, as situações desses atletas, não tem como eu ficar. Até porque eu tenho um custo que não é muito baixo e o clube passa por dificuldades. O problema maior hoje do Atlético é o financeiro, então é melhor a gente buscar outro destino e deixar ele bem a vontade pra ele não ter um gasto grande também pra poder ajeitar a equipe pra buscar a classificação ainda – disse.

Everton Goiano não esconde que a situação o deixa sem condições de fazer cobranças aos jogadores por melhores resultados e espera que o clube consiga uma resolução o quanto antes. Na última semana os atletas só voltaram aos treinos na quarta-feira (7). O retorno estava previsto para terça, mas houve uma reunião com a direção e após nada ser resolvido sobre os salários atrasados, o treinamento acabou não sendo realizado.

– Jogadores da casa o último pagamento que receberam foi em fevereiro. Então, tem sete meses atrasados. Como é que vou extrair, como vou cobrar de um jogador. É difícil. O presidente não tem se omitido, está tentando acertar, mas hoje ninguém consegue dinheiro de um dia pro outro. E o jogador não pode esperar, tem coisas pra cumprir. A gente quer cobrar e não pode cobrar. Tem que resolver a situação, senão não tem como cobrar – finalizou.

A derrota para o Galvez deixou o Atlético-AC na sétima e penúltima posição do grupo 1 com quatro pontos. O Galo Carijó volta a campo na quarta-feira (14), contra o Independente-PA, no estádio Navegantão, em Tucuruí, no interior do Pará, às 16h (de Brasília). Por Globo Esporte Acre