Nascida no dia 25 de fevereiro de 1947, em UJur, na Rússia, Tamara Samsonova ficou conhecida como a Vovó Estripadora.

Ela foi presa em julho de 2015 por suspeita de cometer dois assassinatos cruéis. Posteriormente, confessou ter matado 11 pessoas, mas o número de vítimas pode ser maior.

Samsonova era funcionária de um hotel quando foi detida. Ela foi filmada por câmeras de vigilância transportando partes do cadáver de uma idosa, em sacos plásticos pretos. O corpo, decapitado, era de Valentina Ulanova. A mulher, de 97 anos, tinha sido colocada aos cuidados da homicida

A Vovó Estripadora confessou também que canibalizava as vítimas. Doze anos antes que ela fosse presa, um corpo sem a cabeça e os membros foi encontrado na rua onde ela morava.

Samsonova foi considerada legalmente insana. Ela sofria de esquizofrenia paranoica, e desde então está em um hospital psiquiátrico.

De acordo com a imprensa, a polícia encontrou um diário de Samsonova que continha detalhes dos assassinatos. As descrições estavam em russo, inglês e alemão. Uma das passagens dizia:

“Matei meu inquilino Volodya, cortei-o em pedaços no banheiro com uma faca e coloquei as partes do seu corpo em sacos plásticos. Depois os joguei fora em diferentes partes da cidade”.

A polícia desconfia que ela também matou o marido, Alexei Samsonov, desaparecido desde o ano 2000. Sasonova, à época, apelou para a polícia, mas as buscas não deram nenhum resultado.

Quinze anos depois, em abril de 2015, ela procurou novamente as autoridades, desta vez da unidade de investigação do distrito de Fruzensky, em São Petersburgo, dando um depoimento sobre o desaparecimento de Alexei.

Seu corpo nunca foi encontrado.

Fonte: oacreagora.com