Boliviana que viu família ser morta após estupro volta para PS de Rio Branco e aguarda cirurgia no braço — Foto: Rede Amazônica Acre

A adolescente boliviana de 14 anos, que viu a mãe e os dois irmãos serem mortos e também levou quatro tiros após ser estuprada por um acreano voltou para o pronto-socorro de Rio Branco, na última quinta-feira (1) para passar por uma cirurgia no braço.

Ela tinha sido transferida do PS para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Criança no último dia 18 de setembro, após apresentar alterações nos exames.

A menina já passou por uma cirurgia no braço e aguarda fazer um outro procedimento cirúrgico também no braço. Segundo uma amiga da família boliviana, que tem dado suporte enquanto eles estão em Rio Branco, a adolescente foi levada de volta ao pronto-socorro porque a cirurgia tinha sido marcada para acontecer na quinta (1).

Mas, devido uma infecção no braço, o procedimento precisou ser novamente suspenso. A nova previsão é que ela faça a cirurgia na próxima quinta (8) ou sexta (9). A menina deve ainda passar por outras cirurgias para retirada da bala que está alojada no corpo, mas a prioridade é o braço, já que existe chance de ela perder o membro por conta do ferimento.

A reportagem tentou confirmar com a direção da unidade o atual estado de saúde da menina e se a cirurgia está marcada para esta semana, mas até última atualização desta reportagem não obteve resposta.

O crime ocorreu no último dia 13 de setembro, na área de fronteira entre o Acre e a Bolívia, depois que o pai da menina flagrou um acreano estuprando a filha e decidiu amarrá-lo para chamar a polícia.

Enquanto isso, parentes do suspeito de estupro apareceram e atacaram a família boliviana em sua propriedade, que fica perto das cidades de Acrelândia e Plácido de Castro, no Acre. Após atirar contra a família, os suspeitos ainda queimaram a casa.

Matéria relacionada

Boliviana de 14 anos que viu família ser morta após estupro, é transferida para a UTI do Hospital da Criança em Rio Branco

Por Iryá Rodrigues, G1 Acre