Médico, humanista e dedicado as causas sociais, assim foi descrito Eduardo Farias, por lideranças políticas como a deputada federal Perpetua Almeida (PCdoB), Edvaldo Magalhães, deputado estadual (PCdoB), o candidato a prefeito de Rio Branco, Daniel Zen (PT), o candidato a vice, Cláudio Ezequiel (PT) e Márcio Batista, presidente municipal do PCdoB, durante a live de lançamento da candidatura a vereador por Rio Branco, realizada no início da noite desta quinta-feira, 

“Dudu, como costumamos chamar, sempre tratou a política com muita humanidade. Já exerceu muitos mandatos e todos ele iniciou e terminou sendo admirado e respeitado por todos. Se transformou em dez nessa pandemia e foi se abraçar com nossa comunidade, foi cuidar das pessoas. Temos orgulho de tê-lo entre nós”, declarou Edvaldo Magalhães. Seguindo a mesma linha, a deputada federal, Perpétua Almeida, frisou o trabalho humanista realizado por Eduardo ao longo da sua trajetória. “Quando a pandemia chegou Eduardo foi direto para o enfretamento, para dentro de uma UPA. Ele viveu os três momentos. Como médico, cuidando da saúde das pessoas, já viveu como gestor, pois já foi secretário municipal de saúde onde fez um extraordinário trabalho, e também como paciente viveu esse momento”, destacou.

Daniel Zen, candidato a prefeito pelo Partido dos Trabalhadores, falou sobre algumas propostas que tem para a prefeitura de Rio Branco e a importância de ter pessoas como Eduardo Farias, na câmara de vereadores. “O Dudu na câmara vai, certamente, se empenhar ao máximo, como ele tem feito nestes últimos anos no mandato dele, para debater de forma muito responsável e competente aqueles projetos que são de interesse da população e que vão trazer benefícios ao nosso povo”, declarou.

Farias explicou suas motivações para se lançar candidato e da importância em ter pessoas na câmara que estejam pensando no futuro pós-pandemia. “Para mim, a política ainda é o maior instrumento de transformação da realidade. E a boa política só é feita se estivermos com muita gente do lado. Não adianta a gente querer ser o super-herói. Temos que ser parte de tudo aquilo em que acreditamos e é isso que me faz todo dia levantar e acreditar que estou fazendo a coisa correta. Estou convencido de que o mundo não será igual ao que nós tínhamos antes da pandemia. Penso que nessa quadra eleitoral, o eleitor vai precisar pensar nisso para escolher aqueles que tenham a capacidade de responder a essas necessidades que vão aparecer”, explicou.