Para que os próprios comunitários possam atuar em ocorrências de queimadas, as formações de brigadistas comunitários voluntários continuam acontecendo em todo o Acre.

Na última semana as atividades foram desenvolvidas na Unidade de Gestão Ambiental Integrada (Ugai) Liberdade, no município de Cruzeiro do Sul, nos dias 22 e 23 de setembro e na Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie) Japiim Pentecoste, no município de Mâncio Lima, nos dias 24 e 25 de setembro.

Promovidas pelo governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), as capacitações contam com a parceria do Corpo de Bombeiros Militar (CBMAC) e do Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) da Polícia Militar (PMAC).

As atividades estão sendo realizadas nas nove unidades de conservação (UCs) do estado, sendo oito de uso sustentável e uma de proteção integral. Em cada comunidade são capacitados cinco brigadistas.

“As missões para capacitar os brigadistas comunitários voluntários estão proporcionando resultados significativos para o nosso trabalho integrado. A participação da comunidade diretamente nas ações sensibiliza os integrantes desses cursos, seus familiares e amigos. Uma ação de educação ambiental que merece ser ampliada”, declarou o secretário de Estado de Meio Ambiente, Israel Milani.

Com aulas teóricas e práticas, a capacitação aborda temáticas da biodiversidade, ciclos biogeoquímicos e conservação do solo e da água. As atividades práticas são conduzidas pelos bombeiros militares, que dão as instruções necessárias em relação ao uso correto dos equipamentos que formam o kit de brigadistas e mostram a ação direta do fogo no solo e suas consequências, por meio da dinâmica de Proteção da Terra.

O produtor rural Daniel Lima de Oliveira participou da formação de brigadista na Ugai Liberdade e avaliou positivamente o curso. “O curso foi ótimo, os bombeiros souberam passar o conhecimento. Alguns conhecimentos já tínhamos e outros fomos aprendendo mais e memorizando melhor, tanto a parte prática quanto a teórica”, afirmou.

Os equipamentos foram doados pelo WWF-Brasil e vão permitir que os comunitários atuem no enfrentamento aos focos de calor com mais eficiência e segurança. A ação conta também com apoio da Conservação Internacional, no âmbito do programa Paisagens Sustentáveis da Amazônia.