Rosilda Souza da Silva Rocha, de 30 anos, foi presa em flagrante na madrugada desse domingo (20) depois de dar uma facada no pescoço do marido Adriano Magalhães do Nascimento, de 31 anos, no bairro Laélia Alcântara, em Rio Branco. 

Inicialmente, chegou a ser divulgado que o homem estava batendo na mulher, mas as imagens não confirmam a versão e nem Rosilda, segundo a polícia.

O delegado que fez o flagrante, Adriano Morais, disse que a mulher chegou na Delegacia de Flagrantes (Defla) abalada e chorando muito. No interrogatório, ela contou que usou cocaína e não se lembrava de nada do que aconteceu com o marido.

O casal estava em um bar bebendo e, segundo Rosilda, em determinado momento uma vizinha ofereceu cocaína para ela. Depois de usar a droga, a mulher disse que já não lembra mais de nada.

“Perguntei se ela tinha matado o marido e ela disse que não se lembrava. Inclusive, estava chorando lá e dizendo que tinha perdido o pai dos filhos dela. Se mostrou bastante triste. Eles eram um casal até pacífico, uma irmã da vítima compareceu na delegacia e falou que eles eram um casal normal, tinham discussões como todo casal, mas não eram de se agredir”, disse o delegado.

A mulher disse ainda que só lembra quando estava caminhando na rua e a mesma vizinha que ofereceu a droga disse que ela tinha furado o marido. Segundo a Polícia Militar, quando a equipe chegou no local, populares estavam segurando a mulher e a faca usada no crime estava caída ao lado.

Questionado se a Polícia Civil já teve acesso ao vídeo que mostra a ação, o delegado diz que as imagens já foram analisadas.

“Tem um vídeo de câmeras de segurança de uma casa próxima que mostra o momento do crime. O vídeo mostra ela caminhando, ele se aproxima dela e aparentemente eles conversam por cerca de três segundos e, de repente, ela golpeia ele na altura do pescoço e ele se afasta dela correndo já todo ensanguentado”, relatou Morais.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada para atender a ocorrência e levou Nascimento para o pronto-socorro da capital. No hospital, ele foi levado para o centro cirúrgico, mas não resistiu ao ferimento.

O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) para os devidos procedimentos. Por Iryá Rodrigues, G1 Acre