Há quase 6 meses, as agências do INSS estão fechadas em razão da pandemia causada pela COVID-19.

Na representação, a deputada argumenta que esse período de interrupção das atividades já deveria ter dado tempo suficiente para a direção nacional do INSS ter um planejamento e realizar as adequações necessárias, como a compra de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os funcionários, adequação de salas de perícias com instalação de barreiras de acrílico, e outros itens necessários à proteção de todos os agentes e usuários nas agências.

“A população que depende do INSS não pode ser entregue à própria sorte. O caos tomou conta das agências no Brasil, e no Acre não é diferente: portas fechadas, outras sem funcionários, outras sem equipamentos de proteção para funcionários. Precisamos que essa total desorganização de um órgão tão importante para o povo brasileiro seja investigada e o povo tenha seu direito garantido”, disse a deputada.

Na avaliação da parlamentar, o que está acontecendo no Acre, e em todo Brasil, é uma falta de planejamento, uma total omissão do poder público com quem precisa do benefício para sobrevier. “A imprensa relata vários casos, dentre eles citamos a situação de uma agricultora que viajou horas com sua filha deficiente nos braços e não conseguiu ser atendida quando chegou na cidade. Uma vergonha”.

Cuidados com servidores e cidadão

Perpétua destaca a importância da reabertura imediata das agências para a população, mas ressalta que o Governo precisa dar aos servidores todas as condições de segurança sanitária exigidas pelos órgãos de saúde pública. “Não basta só reabrir as portas, é necessário garantir segurança no trabalho do servidor público e ao cidadão que se dirige até uma agência do INSS”, declarou.