Fiscais da Secretaria de Meio Ambiente do Acre (Semeia) foram acionados para apurar um suposto crime ambiental praticado na Gameleira, região do Segundo Distrito de Rio Branco. As equipes receberam um vídeo de uma árvore centenária sendo cortada.

As imagens foram gravadas por uma pessoa que passava no local e fez a denúncia.

Porém, o que foram cortados, na verdade, foram apenas alguns galhos que caíram da árvore Gameleira, durante o vendaval que atingiu a capital acreana entre a noite de quinta (10) e sexta (11).

Os galhos caíram em cima de um estabelecimento que fica ao lado, quebrando algumas telhas. Uma equipe do Corpo de Bombeiros do Acre cortou os galhos. Ao todo, os bombeiros atenderam mais de 30 ocorrências com queda de árvores após o vendaval.

“Esse galho caiu, é o mais baixo da Gameleira, é uma árvore histórica, mas em um momento ou outro vai de decompor. Está ocada, o galho quebrou pela força da natureza e caiu em cima do telhado da casa. O proprietário já teve um prejuízo de uns R$ 8 mil”, explicou Dino Camilo da Silva, contratado pelo dono do estabelecimento para retirar e terminar de cortar os galhos caídos.

O secretário de Meio Ambiente do Acre, Aberson Carvalho, disse que não houve crime ambiental, mas será feito um relatório sobre a situação. O secretário garantiu que as equipes podam essas árvores para evitar o crescimento desproporcional dos galhos e acidentes.

“A própria árvore, pelo tempo de vida, quebrou os galhos porque está ocada. Sabemos da importância da Gameleira para nossa história, para a cidade e sabemos que essas árvores centenárias são belas, históricas e devem ser preservadas e cuidadas. Mas, também temos que ter atenção para não fazermos denúncias infundadas e com isso prejudicar a vida de outra pessoa”, pediu. Do G1 Acre.