A parlamentar tem sido alvo de críticas, já que na última quarta-feira (19) votou para derrubar o veto do presidente Jair Bolsonaro que congela aumento salarial do funcionalismo federal, estadual e municipal, devido a pandemia do novo coronavírus.

A decisão, contudo, foi revertida posteriormente pela Câmara dos Deputados, que manteve o veto presidencial por 316 votos a 165.

Um dia antes de votar contra o governo, Soraya esteve no mesmo voo que Bolsonaro para inauguração do radar em Corumbá/MS. Ela também acompanhou o chefe do Executivo na viagem de volta para Brasília/DF no avião presidencial.

Nas redes sociais, Soraya afirma que Guedes ‘mentiu’ e ‘é absolutamente inábil para a política’. A senadora também pediu a demissão do chefe da economia brasileira.

“A sorte do Min. Paulo Guedes é que os Senadores são bem mais polidos do que ele. Mesmo assim esse Sr não vai escapar da reprimenda, pois irresponsabilidade tem limites, e ele não está cuidando da economia da casa dele. Estamos tratando de um país!”, criticou a parlamentar, fazendo referência à declaração de Guedes em que o ministro afirma que o Senado cometeu ‘crime contra o país’ ao derrubar o veto sobre reajuste.

Em resposta a um seguidor que pedia esclarecimentos sobre seu voto de quarta-feira (19), Soraya afirmou: “Esclareci que o Min. Paulo Guedes mentiu, e que é absolutamente inábil para a política. O Senado Federal está aguardando retratação. Peço ao governo Bolsonaro que se conscientize de que Paulo Guedes não entrega. Está na hora de este senhor ranzinza e irresponsável ir para casa. O Brasil tem pressa”, escreveu. Conexão Política