A Justiça do Acre decidiu levar a júri popular pelo crime de feminicídio José Martandes da Silva Marinho e Willas França Farrapo. Os dois são suspeitos de matar a adolescente Tainá de Oliveira Sila, no dia 2 de setembro de 2018, em Tarauacá, no interior.

A decisão é do Juízo da Vara Criminal da Comarca de Tarauacá. O corpo de Tainá foi achado em um matagal um dia após o crime. Na época, a Polícia Civil informou que a adolescente foi estrangulada e havia a suspeita de abuso sexual.

Não conseguimos contato com a defesa de Willas Farrapo.

A dupla foi presa e confessou que esteve com a adolescente no dia em que ela sumiu, porém, negou o abuso.

Ainda segundo a polícia, os suspeitos teriam mantido relações sexuais com a adolescente e, após isso, a estrangularam. O Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC) não divulgou se realmente houve o abuso sexual.

Na decisão, a Justiça destacou que a menor tinha um relacionamento conturbado com um dos suspeitos. No dia do crime, Tainá foi levada por um dos suspeitos até a casa do segundo envolvido no crime, onde foi morta.

A Justiça afirmou também que o relato de uma das testemunhas confirmou que os dois suspeitos discutiram na prisão sobre o crime. Um dos suspeitos acusava o outro de ter matado a menor.

“Não há como se extrair um juízo pleno de certeza acerca da caracterização de qualquer excludente ilicitude, a ponto de ensejar a absolvição sumária ou impronúncia, devendo-se deixar ao Egrégio Tribunal do Júri a inteireza de sua apreciação”, afirmou o juiz responsável pela sentença, Guilherme Fraga. Do G1 Acre.