Assessoria – O primeiro encontro virtual Diálogos pela Amazônia ocorreu  nesta quinta-feira, 3, com a participação dos secretários de Meio Ambiente dos nove estados da Amazônia Legal. A data do evento foi escolhida em alusão ao Dia Mundial da Amazônia, celebrado neste sábado, 5. O secretário da pasta ambiental do Acre, Israel Milani, falou sobre as ações integradas de combate aos ilícitos ambientais e sobre o Centro Integrado de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental (Cigma).

Com o tema “lições e ações no combate aos incêndios florestais”, o debate foi mediado pela jornalista Bárbara Lins. Logo no início do evento online, por meio de vídeo institucional, o secretário Israel Milani explicou que a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) tem trabalhado em parceria com as instituições de Comando e Controle para coibir os crimes ambientais no estado, a exemplo dos desmatamentos ilegais, invasões nas florestas e queimadas.

“Estamos atuando desde o início da gestão e neste sentido muitas ações têm sido desenvolvidas no Cigma, inclusive com a integração das ações ligadas ao Cadastro Ambiental Rural e ao Programa de Regularização Ambiental, com o monitoramento do desmatamento, queimadas, licenciamento ambiental e monitoramento dos eventos extremos, no sentido de fornecer dados e informações necessários ao monitoramento e ações de fiscalização em campo”, explicou Israel.

O secretário destacou também a medida do Governo do Estado do Acre na criação do Comitê Integrado de Ações Ambientais, por meio  do Decreto 5.866 de 29/04/2020, que tem por objetivo a integração de instituições para o enfrentamento às queimadas e demais ilícitos ambientais nesse momento crítico de pandemia do coronavírus.

Israel lembrou ainda sobre a inclusão do Ministério Público do Acre (MPAC) no Comitê de Meio Ambiente, para que o órgão fiscalizador possa acompanhar passo a passo das missões integradas.

O diálogo iniciou às 18h de Brasília e foi transmitido pelo canal da Sema Mato Grosso no Youtube. A iniciativa do evento foi da Força Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF Task Force), uma colaboração subnacional de 38 estados e províncias que trabalham para proteger as florestas tropicais, reduzir as emissões do desmatamento e da degradação florestal, e para promover caminhos realistas de desenvolvimento rural e preservação das florestas. No Brasil, os nove estados membros da Amazônia Legal integram a Força Tarefa.