Seis iranianos foram presos ao tentar entrar no Brasil pela fronteira do Acre com passaportes falsos. O flagrante ocorreu após uma denúncia de que os estrangeiros entrariam no estado. Uma barreira foi montada pela Polícia Federal no posto de Assis Brasil, na fronteira com o Peru.

Os estrangeiros estavam em três táxis. Na abordagem, eles apresentaram passaportes como se fossem dois canadenses, cinco israelitas e um dinamarquês, de acordo com a Polícia Federal (PF). Entre os imigrantes estava uma criança com menos de dez anos. Dos seis presos, dois são homens e quatro mulheres.

O grupo foi conduzido para a delegacia da PF em Epitaciolândia, também no interior do Acre, onde foi feita análise dos documentos e constatada a adulteração.

Uma consulta à Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) confirmou que os cinco passaportes israelenses, o dinamarquês e um dos canadenses estavam na lista de alerta de documentos roubados ou perdidos e foram adulterados para serem usados pelos estrangeiros. Apenas um dos imigrantes estava regular e tinha dupla nacionalidade, iraniana e canadense.

Cinco iranianos supostamente fazem parte de uma mesma família e entre eles estava a criança que foi levada para um abrigo após o Conselho Tutelar ser acionado.

A polícia investiga o motivo de eles estarem usando a documentação falsa, e tenta descobrir quem teria sido o responsável pela adulteração e migração ilegal dos estrangeiros. Do G1 Acre