Assessoria – O Censo Escolar é a maior pesquisa nacional e da América do Sul no campo educacional. Os dados coletados servem de base, por exemplo, para o cálculo dos recursos destinados aos programas nacionais Alimentação Escolar, Livro didático, Transporte Escolar, Dinheiro Direto na Escola e para o Fundeb, o Fundo de Manutenção da Educação Básica.

Na última sexta-feira, 21, as 1.566 escolas acreanas (somando as redes estadual, municipais, privada e federal) concluíram a coleta de informações sobre a matrícula inicial, fazendo com que o Acre seja o primeiro estado a finalizar essa fase pelo quarto ano consecutivo. No total, a rede pública estadual aparece com 614 escolas e 142.327 alunos.

A pesquisa é dividida em duas etapas: a da matrícula inicial, em que são levantadas informações referentes ao aluno, gestor e estrutura da escola, entre outras; e a da situação final do aluno, com indicações sobre rendimento escolar, aprovação, reprovação e movimentação.

Segundo o coordenador estadual do Censo Escolar da Secretaria de Estado de Educação do Acre (SEE), Jelsoni Calixto, a pandemia da Covid-19 trouxe ainda mais desafios para a equipe do Censo e as equipes gestoras das escolas. “Em um ano tão importante para a educação por conta da aprovação do novo Fundeb, reacende-se a esperança de dias melhores para educação, principalmente quanto à valorização de seus profissionais”, ressalta.

O titular da SEE, Mauro Sérgio Cruz, destacou o compromisso e o zelo das equipes escolares e da secretaria para a conclusão desse trabalho. “Apesar de estarmos em meio a uma crise sanitária, os profissionais não mediram esforços para realizar o preenchimento das informações. Eis o resultado: Fundeb garantido para 2021. Mais recursos, mais investimento em boas políticas educacionais”.

A partir de primeiro de outubro a coordenação estadual do Censo terá trinta dias para fazer uma revisão das informações junto às escolas e corrigir possíveis divergências.