Depois de ter a sessão suspensa na tarde de segunda-feira (10), por motivos de queda no sinal de internet na Região do Juruá, a desembargadora Denise Bomfim retoma os trabalhos que iniciaram as 11:30 desta quarta-feira.

Advogados de defesa e acusação dos envolvidos no processo, fazem suas sustentações oral e tão logo concluído, fica a cargo da relatora do caso, Juíza Mirla Regina e os demais desembargadores, definir pelo resultado final.

Entenda o caso em julgamento

O caso que cassou em primeira instância o prefeito Ilderlei Cordeiro e o vice dele, Zequinha Lima, diz respeito a um flagrante por compra de votos de um candidato a vereador pelo PSDB, na última eleição municipal, que envolve também o ex-prefeito Wagner Sales.

Se o TRE mantiver a decisão do juiz da 4ª Zona Eleitoral, Erik da Fonseca Farhat, não caberá Recurso Ordinário por ser ação da esfera municipal. Seria então marcada uma eleição para um mandato-tampão, com novo eleito ficando no cargo até o trâmite final da eleição de outubro.

Apesar de não caber Recurso Ordinário, Ilderlei Cordeiro poderá ainda alegar terem sido aceitas provas conseguidas de maneira ilícita por meio de gravação não autorizada pela justiça e impetrar um Recurso Especial junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pedindo uma liminar até o julgamento do mérito. A defesa dele ainda não anunciou se vai recorrer à Brasília.