Os bastidores da política acreana ganha ares verdadeiramente de uma grande e acirrada disputa nas eleições municipais deste ano, tendo o governador Gladosn Cameli pautando as notícias com sua possível sápida do PP.

No retorno dos trabalhos na Assembleia Legislativa do Acre desta terça-feira (04), o assunto que pautou a fala dos deputados foram as articulações políticas, andanças dos deputados durante esses 15 dias. O Deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) aproveitou para botar pimenta na discussão. O parlamentar disse que o governador Gladson Cameli se tornou um errante na política e sua indefinição tem deixado seus aliados sem compreender nada.

“O governador foi achincalhado no seu partido, depois de uma gravação vazada, onde um dirigente o chamava de menino em corpo de homem, em uma demonstração clara de que as coisas por lá não ia alinhadas. Depois teve a Operação Bandeirantes, esta articulada em São Paulo e que tem resistência dos Tucanos acreanos” disse Edvaldo.

Edvaldo disse que andou o Acre quase todo neste período de recesso e sentiu uma paralisia política, onde os partidos aguardam a movimentação do governador.

“Os partidos estão esperando a definição desse zig zag do governador, ele decidiu pousar no ninho tucano, sob a desconfiança dos dirigentes locais. Basta ler o que disse a nota do PSDB assinada pela deputada federal Mara Rocha. Se quiser vir será bem-vindo, mas vem para balançar a bandeira de nossos candidatos, ‘aqui a casa tem ordem’”, finalizou Edvaldo, em uma clara alfinetada no ambiente político do palácio Rio Branco.