Se comparado com o mesmo período do ano passado, houve um aumento de quase 80% na demanda do benefício ofertado através da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH).

O auxílio funeral, concedido apenas a famílias de baixa renda, tem como objetivo diminuir a fragilidade causada pelo falecimento de algum parente. Neste sentido, a gestão municipal colabora com doação de urna, concessão de jazigo e outros serviços funerários.

Sem condições de custear o funeral da irmã, o desempregado Luciano Fernandes procurou o setor de benefícios eventuais. “Ainda no hospital me disseram que a Prefeitura podia me ajudar a enterrar minha irmã. Como estou sem trabalho, fui direto no prédio onde fica o auxílio funeral. Me deram toda atenção e resolveram rapidamente.”

Claudia De Paoli, gerente do Departamento de Proteção Social Básica explica que para conseguir o benefício é necessário se encaixar nos critérios exigidos. “Para ter acesso ao auxílio, as famílias devem atender algumas exigências sociais, como ter renda familiar per capita de no máximo um quarto do salário mínimo.

Ainda de acordo com a gerente, devido a oferta do serviço de auxílio funeral ser disponibilizado vinte e quatro horas por dia, mesmo antes da pandemia, não foram necessárias grandes adaptações, a não ser visando garantir a segurança nos atendimentos. “Pensando na saúde das famílias e também da nossa equipe, além do uso obrigatório dos equipamentos de proteção, colocamos vidros para reduzir o contato e estamos controlando o fluxo de pessoas em nosso setor”, concluiu De Paoli.

Serviço:

A Divisão de Benefícios Eventuais funciona no prédio sede da SASDH, que está localizado na rua do Aviário, nº 972, bairro Aviário. Telefones: 68.3211-2471 e 99985-3022.

Requisitos Básicos: Renda familiar per capita de até ¼ do salário mínimo;

Documentos Necessários: Declaração de óbito e cópia de documentação do falecido e do responsável.