A jovem Poliana de Araújo, que foi presa na última quinta-feira (23) na Fundação Hospitalar (Fundhacre), em Rio Branco, por exercer a profissão de farmacêutica de forma ilegal, foi exonerada do cargo nesta segunda-feira (27). A demissão foi publicada no Diário Oficial do Acre (DOE).

Ela, que não possui o registro profissional, foi presa dentro da unidade já que atuava no setor de nefrologia da Fundhacre.

O delegado Pedro Resende, responsável pelas investigações, informou que a jovem foi levada à delegacia, ouvida e liberada após assinar um termo circunstanciado de ocorrência (TCO). A denúncia chegou até a polícia por meio do Conselho Regional de Farmácia.

A estudante foi contratada como cargo de comissão de nível 3. O delegado explicou que, por ser um crime de menor potencial ofensivo, ela foi liberada, mas deve comparecer ao juizado para esclarecimentos. Além disso, as investigações continuam.

Durante as investigações, a polícia ouviu colegas de trabalho de Poliana e também a chefe dela do setor, que confirmaram que ela exercia a função de farmacêutica.

“Ainda estamos em diligências com relação a esse caso, ouvimos o diretor da fundação da época [da contratação da jovem] e agora vamos ouvir mais pessoas”, disse o delegado.

A direção da Fundhacre informou que está acompanhando as investigações e procedimentos adotados para posteriormente se posicionar sobre o fato. Por Iryá Rodrigues, G1 Acre