Assessoria – O projeto de conservação dos quelônios do rio Abunã passou a receber incentivo do Governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). O SOS Quelônios agora conta com investimento de mais de R$ 200 mil para realizar o manejo e monitoramento dos tracajás.

O incentivo ao SOS Quelônios é resultado do projeto Paisagens Sustentáveis da Amazônia, uma parceria do Estado com o Banco Mundial, o Ministério do Meio Ambiente e a Conservação Internacional (CI-Brasil) e financiado pelo GEF (Global Environment Facility), que está inserido em um programa regional voltado especificamente para a Amazônia, envolvendo Brasil, Colômbia e Peru.

O período de postura dos ovos está prestes a se iniciar e o trabalho da equipe já começou com a limpeza das praias. O Estado garantiu apoio com a fiscalização, por meio do Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) da Polícia Militar (PMAC).

As prefeituras de Plácido de Castro e Acrelândia também apoiam a iniciativa, que é responsável pela existência das espécies no rio. “Se não fosse esse trabalho realizado todos os anos, os predadores já teriam acabado com tudo, não existiria mais tracajás nos rios do Acre”, disse a presidente da Associação SOS Quelônios, Caroline Kerdy.

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Israel Milani, reforçou o compromisso com o projeto. “Reconhecemos a importância da atividade de monitoramento dos quelônios e vamos garantir o funcionamento desse projeto por dois anos”, disse.

O valor total do apoio é R$ 234 mil e inclui assistência técnica, combustível, aquisição de ração e diárias dos profissionais para o acompanhamento das ações do projeto. Entre as atividades do SOS Quelônios estão a identificação e limpeza das praias de desovas, transferência dos ovos, proteção das covas, controle da eclosão, manejo com os filhotes, incluindo a recuperação dos mais frágeis e doentes, e a soltura dos filhotes.

O SOS Quelônios iniciou suas atividades em 2000 e nesses 20 anos de trajetória conseguiu realizar a soltura de aproximadamente 150 mil filhotes de quelônios. A vigésima soltura, de aproximadamente 7 mil tracajás, está programada para se efetivar nos próximos dias. A meta do projeto, com apoio do governo do Estado, é garantir a soltura de 10 mil tracajás no próximo ano.

A sede do projeto está localizada no seringal Porto Dias, entre os municípios de Plácido de Castro e Acrelândia. São mais de 250 praias distribuídas ao longo do rio Abunã, nos limites entre Brasil e Bolívia. “Nós também cuidamos das praias do lado boliviano. Eles recebem bem a ideia do projeto”, disse o coordenador de campo, Roberto Libdy Kerdy.