O senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas, ligou na manhã desta segunda-feira, 20, para o governador Gladson Cameli tentando convencê-lo a não se desfiliar do partido. Na conversa, o dirigente partidário pediu “paciência” ao chefe do executivo acreano e disse que estava “ciente de toda a história”. 

Ao término da resenha, Cameli afirmou que ficou “balançado” com o pedido de Nogueira, mas que a decisão já está tomada. “O Ciro é meu amigo, conversamos, mas não existe clima para mim dentro do PP. Eles que façam o que quiserem, eu vou fazer o que eu quero”, disse.

Cameli afirmou que existem convites para que ele se filia a vários partidos, mas que essa decisão será tomada apenas após as eleições ou no ano que vem. “Eu tenho o tempo ao meu favor, vou cuidar do governo, das pessoas. Eu não vou me preocupar com isso agora. Acredito que tenha algo só depois das eleições ou no ano que vem”, frisou.

Gladson acredita que com a tomada de posicionamento saberá quem está com ele ou não e afirmou que a data final para os que ficarem no seu grupo será até as convenções que ocorrerão entre os dias 31 de agosto e 16 de setembro. “ Eu não vou criar cobra para me morder e falei isso para o Ciro Nogueira. Quem me elegeu ao governo foram os acreanos”, enfatizou Cameli, dando a entender que um listão de exonerações deve ser publicado no Diário Oficial nos próximos meses.

O governador reforçou ainda que sua saída do PP tem efeito imediato ao levar para o palanque de Socorro Neri, sua candidata a prefeitura de Rio Branco, vários partidos. “Estou fechado sim e vamos trabalhar. Eu não vou ficar mais na mão de ninguém”. Por Marcos Venicios / ac24horas