Assessoria – Com o objetivo de garantir o pleno funcionamento do sistema de abastecimento e eliminar problemas que possam colocar em risco a distribuição de água tratada em Rio Branco, o Governo do Estado, por meio do Departamento Estadual de Água e Saneamento (Depasa), trabalha na execução de projeto emergencial para manutenção da Estação de Captação da ETA  2. Em visita à unidade de captação nesta segunda-feira, 20, a nova diretoria do Depasa apresentou ao governador Gladson Cameli os detalhes do projeto.

A proposta apresenta soluções definitivas para corrigir problemas decorrentes de erosão que acabou prejudicando tanques de decantação e casa de máquinas que atende a estação. Orçado em 2,580 milhões, o projeto prevê a construção de uma nova subestação, reforma do sistema elétrico, além a reconstrução dos tanques de decantação. 

Após ouvir atentamente a explicação de gestores e técnicos, Gladson Cameli reafirmou o compromisso de priorizar recursos para execução do projeto . “Água é saúde, tratamento é saúde. Eu como engenheiro civil sei que o desafio é grande, mas vamos resolver”, disse Gladson Cameli ao agradecer o empenho de toda equipe e reiterar a importância do compromisso de todos na busca de soluções para os problema.   

De acordo com o diretor-presidente do Depasa, Luiz Felipe Aragão, o próximo passo agora é reunir a equipe e encaminhar o projeto à licitação. “Já temos orçamento e cotações. Transparência, sempre, é o que o governador pode esperar da nossa equipe”,  disse Luiz Felipe Aragão, ao destacar a sensibilidade do governador Gladson Cameli em ouvir a equipe, acatar sugestões e apoiar as ações em busca de soluções. 

Reconhecimento 

Na visita à Estação de Captação da ETA 2, além da nova diretoria integrada pelo diretor-presidente, Luiz Felipe Aragão, pelo diretor operacional, Luiz Anute, o diretor de Administração e Finanças, Mamed Arudá, e o diretor de Obras Rodrigo Meireles, técnicos e operadores também recepcionaram o governador. 

Após ouvir com a atenção a explicação dos diretores e equipe técnica, Gladson Cameli fez questão de reconhecer o trabalho de todos servidores e gestores do Depasa e destacar a importância do trabalho em equipe. “Todo são importantes nesse processo. Quando a gente consegue ter humildade e dar as mãos, as coisas acontecem . Foi assim que em 37 dias fizemos dois hospitais de 100 leitos cada”, destacou Cameli ao pedir a todos que continuem trabalhando em sintonia e com diálogo aberto. 

A origem do problema

Tudo começou no último dia 31 de maio, quando um deslizamento de terra acabou provocando rachaduras nos tanques de decantação e prejudicando o sistema de captação.

Àquele momento, ações emergenciais garantiram que o sistema continuasse funcionando, mas deixou o alerta para estudo, acompanhamento minucioso e elaboração de ações urgentes para corrigir estragos decorrentes da erosão e evitar problemas futuros.  Na análise da equipe de geologia, erosões ainda são uma ameaça, mas várias ações já estão programadas para prevenir os riscos.