O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM) com a parceria da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) analisa transferir os imigrantes venezuelanos da etnia Warao que estão abrigados na Cidade do Povo, em Rio Branco, para outro abrigo.

Buscando melhorar o atendimento e o acolhimento dessas pessoas, a SEASDHM vem avaliando outros espaços que proporcionem uma estrutura mais adequada para acomodá-los. Estão sendo estudados locais onde seja possível a realização de atividades de recreação, assim como garantir o distanciamento social e condições sanitárias adequadas à melhor convivência, de forma acolhedora e inclusiva.

Um dos espaços visitados está localizado no Conjunto Esperança. A Seinfra está avaliando ali a possibilidade de reforma e adequação para implantação do Acolhimento Temporário, onde as famílias recebidas serão acompanhadas por monitores e outros profissionais, como assistente social e psicólogo, além dos demais serviços disponibilizados em rede durante o período de permanência.

“Estamos analisando a transferência desses migrantes de maneira cautelosa, buscando principalmente proporcionar o bem-estar e garantir a segurança e a integridade deles”, explicou o diretor de Assistência Social da SEASDHM, Sandro Rocha.

Atualmente, 34 imigrantes, incluindo crianças e idosos estão abrigados na Cidade do Povo. Os que estão no abrigo recebem, desde março, auxílio do Estado com medidas socioassistenciais, saúde, segurança e alimentação.