O Governo do Estado do Acre empossou novos servidores que irão compor os quadros da Polícia Civil. A solenidade foi realizada no auditório da Polícia Civil, nesta terça-feira, 1º, respeitando todas as recomendações de segurança e proteção dos órgãos de saúde em virtude da pandemia do coronavírus.

A princípio, 67 novos policiais seriam empossados, mas um delegado desistiu, dois agentes de policia e dois escrivães pediram reclassificação e, portanto, 62 aprovados foram empossados, sendo 7 delegados, 11 escrivães, 39 agentes e 5 auxiliares de necropsia, tornando-se oficialmente policiais civis do Estado do Acre.

Os aprovados serão lotados nas cidades de Assis Brasil, Cruzeiro do Sul, Feijó, Plácido de Castro e Xapuri. Com a posse, todas as cidades contarão com a presença constante de delegados.

A solenidade contou com a presença do vice-governador Major Rocha, do secretário de Segurança Pública, Paulo Cézar Santos, e do delegado-geral da Polícia Civil, José Henrique Ferreira, diretores e representantes das categorias, além de quatro empossados, cada um de uma categoria representando os demais.

Na abertura, José Henrique Ferreira enfatizou a importância da posse dos novos policiais para a Polícia Civil e consequentemente para o combate à criminalidade. “Alcançamos números satisfatórios na elucidação de crimes, no cumprimento de mandados de busca e apreensão e também nas prisões de criminosos. Com os novos policiais teremos um reforço a mais nessa batalha, sobretudo no interior”, disse.

O vice-governador Major Rocha destacou o esforço realizado pelo governo estadual para começar a chamar os concursados que concluíram a academia de polícia para tomar posse. Rocha disse ainda que a convocação dos novos policiais vai continuar.

“Não nos esquecemos do nosso compromisso, não é um momento muito fácil para o Estado mas, ainda assim, num esforço muito grande e mais que isso, com a sensibilidade do governador Gladson Cameli, conseguimos nesse primeiro momento a posse desses 62 novos policiais civis. É um trabalho que vai continuar, precisamos desse reforço”, disse Rocha.

O secretário de Segurança Pública, Paulo Cézar Santos, afirmou que o Acre vem superando as dificuldades e os índices de defasagem da pasta desde o início da gestão. O secretário enfatizou ainda que a nomeação dos novos policiais é fruto do esforço, dedicação e persistência do governador.

O que os empossados disseram

“Este é um momento único, é indescritível compor a Polícia Civil do Acre, tornando uma Polícia Judiciária mais técnica, aprendendo com os delegados atuais. É a realização de um sonho lembrar de todo o apoio da família, dos amigos, do esforço diário e agora é agradecer a Deus por esse momento e assumir os novos desafios que virão”, Gustavo Ribeiros, 29 anos, sergipano, delegado de polícia empossado.

“É um sentimento de satisfação, de gratidão; foram três anos de luta, muito esforço até a chegada deste momento, e agora é trabalhar e servir o povo acreano, servir o Estado do Acre. Esperamos que logo os nosso companheiros também sejam empossados para que possamos estar juntos nessa batalha diária. Obrigado a Deus e à minha família”, Rafael de Oliveira, 31 anos, rondoniense, agente de polícia empossado.

“É a realização de um sonho e o sentimento de muita gratidão a Deus e aos meus familiares, que me ajudaram nessa luta, que não foi fácil e nem está longe de acabar, pois agora teremos que assumir a função de proteger a sociedade, buscar dar o nosso melhor, promover a justiça e a paz. Assim como estou vivendo esse momento ímpar, aguardo com ansiedade a posse dos meus colegas quem também passaram por essa luta, para que eles possam também viver essa emoção, se Deus quiser vai dar tudo certo para todos nós”, Daniela de Souza Magalhães, 24 anos, acreana, escrivã de polícia empossada.

“Primeiramente, este momento é a realização de um sonho, de pertencer a uma instituição tão valorosa que é a Polícia Civil, mas também de muita responsabilidade por servir a sociedade acreana e, se Deus quiser, vamos cumprir nossa missão com muita dignidade e probidade.”, Vânia Lima, 30 anos, acreana, auxiliar de necropsia empossada.