O presidente da ACISA – Associação Comercial, Industrial de Serviços e Agrícola do Acre, falou da frustação sentida. O empresário disse que o setor comercial esperava que o governador anunciasse a reabertura gradual das atividades econômica

“Nós estamos no limite, tem colaboradores perdendo seus postos de trabalho por que ninguém aguenta manter folha de pagamento sem movimentação por muito tempo. Já apresentamos propostas de reabertura gradual, com segurança e isso não tem sido levado em conta”, disse.

Celestino assim como outros empresários do Acre, contestaram o decreto editado pelo governador Gladson Cameli, que estipula um plano de segurança dividido em quatro fases. A partir da estabilização do nível de contaminação do COVID-19, os municípios vão tendo autonomia para decretar a flexibilização dos setores do comércio e serviços.