De acordo com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, a alteração está sendo discutida entre um grupo de especialistas em saúde, os presidentes da Câmara e do Senado e as lideranças partidárias.

Existia uma torcida muito grande dos detentores de cargos eletivos que desejavam a prorrogação dos atuais mandatos, movimento frustrado com o anúncio feito pelo presidente do TSE.

Ainda não há definição se, com a nova data, se haverá alteração também com relação a prazos eleitorais como filiação partidária ou mudança de agremiação, além de outros cronogramas.

A decisão anunciada agora há pouco ocorreu depois de um a reunião entre o Tribunal Superior Eleitoral e líderes partidários da Câmara e do Senado. Fonte: Tribuna