Um dos 100 leitos do novo Hospital de Campanha, em Rio Branco; uma segunda unidade será entregue também em Cruzeiro do Sul – Foto: Pedro Devani

Em mais uma lição de transparência em suas ações, o Governo do Estado do Acre revela que nestes três meses de enfrentamento da pandemia de Covid-19, quase R$ 60 milhões já foram investidos no combate ao coronavírus. No dia 17 de março, o Acre começou o embate contra a pandemia, ao registrar os três primeiros casos da doença, o de um homem de 30 anos e de duas mulheres, uma de 37 e outra de 50 anos. Desde então, bastaram 90 dias para que 10.339 pessoas no Acre se contaminassem pelo novo coronavírus, que já causou 281 mortes, até esta quarta-feira, 17.

No entanto, um balanço de contas do Governo do Estado do Acre revela que os gestores seguiram atentos à situação pandêmica e investiram para que seus profissionais e suas instalações médico-hospitalares oferecessem as condições ideais para enfrentar o problema.

O levantamento, com base nos dados do Ministério da Saúde (MS), e no Financeiro da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), mostra R$ 59,3 milhões em investimentos no combate ao coronavírus, até o momento.

O MS contabiliza R$ 256,2 milhões em repasses para o município de Rio Branco e para os demais 21 municípios, dos quais pelo menos R$ 59,3 milhões foram destinados ao estado e usados, principalmente, para a compra de equipamentos hospitalares, como por exemplo, ventiladores pulmonares e outros aparelhos para a montagem de UTIs. Neste bojo, estão incluídos ainda a compra de milhares de kits para testes e para exames de Covid-19, de milhares de equipamentos de proteção individual, como máscaras, aventais, luvas e escudos para os profissionais de Saúde e a ampliação do atendimento a leitos de hospitais.

Até o dia 12 deste mês, o estado havia recebido 472,6 mil equipamentos de proteção individual para uso de profissionais de saúde na linha de frente da pandemia: 2,4 mil litros de álcool gel, 14,1 mil aventais descartáveis, 109,7 mil pares de luvas, 13,7 mil máscaras N95, 252 máscaras cirúrgicas com três camadas, 290 óculos de proteção, 3 mil pares de sapatilhas descartáveis, 69,6 toucas e 7 mil protetores faciais.

“O reconhecimento aos profissionais da saúde é o que vimos fazendo, no coração e na prática. E desde o início da pandemia, concedemos aos profissionais que estão na linha de frente do combate, aumento de gratificações em seus salários. Mas imaginem o cenário da atual pandemia se não tivéssemos, desde o início, encarado a Saúde Pública como uma prioridade da nossa mudança”, ressalta o governador Gladson Cameli.

Entre as mais recentes conquistas estão os Hospitais de Campanha de Rio Branco – inaugurado no último dia 15 – com a presença do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello –, e o de Cruzeiro do Sul, que será entregue em breve. Com o hospital de Rio Branco e o de Cruzeiro do Sul, a ampliação será de mais 240 leitos que também permanecerão à disposição quando passar a pandemia.

Para o governador Gladson Cameli, nessa hora, mais importante que os números dos investimentos é ter a certeza de que vidas foram e estão sendo salvas.

“Pegamos a obra do Pronto-Socorro de Rio Branco, paralisada há décadas. Com planejamento, trabalho e vontade de fazer, em alguns meses inauguramos um dos mais modernos e bem equipados hospital da região Norte. Com essa ação, acabamos com a lamentável cena de macas espalhadas pelos corredores e diminuímos as filas de atendimento e cirurgias”, relembra o governador.

Essa condição foi fundamental para que hoje o Pronto-Socorro de Rio Branco seja também uma das unidades de referência no acolhimento de pacientes com Covid-19 no estado.

Profissionais do Pronto-Socorro de Rio Branco na UTI Covid-19; valorização dos servidores, com gratificação para os que estão na linha de frente de combate à pandemia, foi uma forma de valorizá-los ainda mais – Foto: Junior Aguiar