A prefeita Socorro Neri recebeu na manhã desta terça-feira, 16, o superintendente da Fundação Nacional de Saúde no Acre (Funasa), Ronaldo Craveiro. Acompanhado pela vereadora Lene Petecão, ele apresentou uma tecnologia simplificada de tratamento de água, desenvolvida pela instituição, e que pode ser instalada em pequenas comunidades.

De construção artesanal e baixo custo, o mecanismo clarifica e filtra águas superficiais e é capaz de suprir com água potável, especialmente comunidades rurais com dificuldades de acesso à água de qualidade. “Nós apresentamos o essa solução para a prefeita e ela demonstrou total interesse. A contrapartida da Prefeitura é fazer o elevado para a instalação da caixa d’água de cinco mil litros e também a fiação elétrica. O kit que nós disponibilizamos é composto por bomba, encanação para 60 metros e de acordo com a distância de onde esteja o manancial a Prefeitura complementa”, disse Ronaldo.

O sistema de tratamento e abastecimento de água é chamado também de sistema chafariz, fica no meio da comunidade com várias torneiras e de lá as pessoas já tiram a água pronta para o consumo.

Em Rio Branco, as comunidades Boa Água, Carão e Figueira já foram identificadas pela Funasa como aptas e devem ser as primeiras a receberem o sistema. A vereadora Lene Petecão, que intermediou a conversa dos representantes da Funasa com a prefeita Socorro Neri, disse que a tecnologia pode fazer uma grande diferença nas comunidades rurais, principalmente na saúde das pessoas.

“Já fazia algum tempo que eu tinha visto esse projeto lá na Funasa fiquei muito animada e trouxe hoje para o conhecimento da prefeita. Essa ação deve atender a população mais que mais humilde e a prefeita como sempre teve compromisso social disse que vai abraçar esse projeto”.

De acordo com a prefeita Socorro Neri, a Prefeitura de Rio Branco vai assinar o termo de cooperação com a Funasa e também fazer a indicação de outras comunidades que devem receber o sistema. “Água é vida e precisamos dar qualidade de vida para as famílias onde existe dificuldade para ter acesso.

Para se ter uma ideia da situação, especialmente agora no período de estiagem, a Prefeitura precisa fazer o abastecimento de água em algumas comunidades com caminhões pipa. Por isso, temos maior interesse nesse sistema que é simples, eficiente e barato e que com ele possamos levar água de qualidade aos nossos ribeirinhos e produtores”, finalizou.