O Governo do Estado comemora, nesta segunda-feira, 58 anos da emancipação do Acre à categoria de Estado. Em 15 de junho de 1962, o presidente da República João Goulart, sancionou a lei que transformou o Território do Acre em Estado do Acre. A data foi considerada feriado estadual a partir da Lei nº 14, de 2 de setembro de 1964, quando o então governador Edgard Pereira de Cerqueira Filho sancionou a lei aprovada na Assembleia Legislativa do Acre.

Tradicionalmente, a cerimônia de troca da bandeira, que marca as comemorações da emancipação do Acre à categoria de Estado, é acompanhada por centenas de militares e civis. Ocorre que este ano, em razão da pandemia do novo coronavírus, foi preciso readaptar as comemorações e limitar o acompanhamento da solenidade a um grupo restrito, que irá representar todos os Poderes e a sociedade. O ministro da Saúde Eduardo Pazuello estará presente na solenidade. A troca da bandeira será realizada às 9 horas na Travessa Natanael Albuquerque, na Praça da Gameleira.

“Este é um momento muito importante para nós acreanos. Comemorar a emancipação do Estado em um período de pandemia requer novos desafios. O estado vive dias de muitas lutas, mas mantemos otimismo que dias melhores virão. O povo do Acre é uma referência em termos de fé, esperança e coragem. Tem sido uma luta difícil, mas unidos venceremos e em breve teremos o estado todo livre do coronavírus”, destacou o governador Gladson Cameli.

De acordo com o Cerimonial da Casa Civil, todas as normas sanitárias serão rigorosamente colocadas em prática, como a obrigatoriedade do uso de máscaras, de álcool em gel e o distanciamento social.

Neste ano, o aniversário do Estado será marcado pela mobilização dos Poderes e da sociedade em busca de conter e minimizar os efeitos da pandemia. Todos os esforços estão voltados para uma rápida estruturação do sistema de saúde, com hospitais de campanha sendo construídos em tempo recorde e com diferencial, em relação ao demais do país, a estrutura será utilizada posteriormente para ampliar a rede estadual. Para acompanhar como o Estado vem trabalhando o tema, o Acre irá receber a visita do ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello.

Autoridades irão receber a maior honraria concedida pela PMAC

Durante a solenidade de troca da bandeira, o Governo do Estado, por meio da Polícia Militar do Acre, irá condecorar personalidades em reconhecimento aos relevantes serviços prestados e pela colaboração para o progresso da segurança pública. As Medalhas Plácido de Castro e Fontenele de Castro são a maior honraria concedida pela instituição a uma autoridade pública.

Na oportunidade, o ministro da Saúde Eduardo Pazuello, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Airton Antônio Soligo, o senador da República Márcio Bittar e o tenente-coronel Jorge Emerson Ribas S. de Lima, da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, irão receber a Medalha Plácido de Castro. Já a Medalha Fontenele de Castro será entregue ao governador Gladson Cameli, ao segundo tenente do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, Sylvio Ernesto Cocchiarella Filho, e ao cabo da PM do Estado de São Paulo, Tiago Soares de Freitas.

Depois da solenidade da troca da bandeira, o ministro irá acompanhar o governador Gladson Cameli na inauguração do hospital de campanha de Rio Branco e da entrega do Into, etapas 1 e 2 de adaptação para atendimento a pacientes da Covid-19. O hospital de campanha de Rio Branco terá capacidade para 100 novos leitos de enfermaria.

Construído a um custo de quase R$ 3 milhões, com recursos do Ministério da Saúde, a unidade tem uma área total de mil metros quadrados e começou a ser levantada no dia 8 de maio, gerando 49 empregos diretos. A edificação conta com posto de enfermagem, farmácia, rouparia, depósito para material de limpeza, copa, duas salas de descanso, outras duas salas para uso a ser definido pela direção, banheiro de uso coletivo e sala de expurgo.